Amor próprio


Eu Sou Luz!

Eu Sou Luz!

 

 

Lembrei-me de uma frase que em meditação após uma aula de yoga ficou ressoando dentro do meu ser, quando me vi em um vasto campo de flores violetas e azuis, deitada sobre elas.

Não consegui repuplicar o post, mas estou reescrevendo na íntegra o que nele continha.

A observação a mais é que, naquela época, quando isso me ocorreu, senti um conforto muito grande porém, não estava em compreensão. Acredito que agora estou no momento onde posso compreender profundamente o por que e o real significado, daquela frase tão bela que me ocorreu em meditação.

Simples e puramente verdade do Ser.

“O amor não existe lá fora, ele existe num lugar onde poucos o enxergam e procuram: dentro de nós mesmos.”

Agora olho para dentro de mim e reconheço o quanto estive vagando até achar o tesouro mais belo, mais precioso e mais brilhante de todo o Universo.

Simplesmente o Amor Verdadeiro e Sincero por mim!

 Já não tenho vergonha e culpa do que sou, fiz, deixei ou não de fazer, é como se águas borbulhantes e agitadas dentro de mim estão começando a ficar calmas e translúcidas. As coisas estão ficando cada vez mais claras e óbvias, não devo temer, devo confiar e seguir amando, independente do que aconteça.

Estive perdida e agora me achei, estive olhando para um horizonte ao longe no qual estive lá e não reconheci que era o mesmo.

Estou imensamente sentindo “dentro de mim”, como se eu “me pertecesse” e sinto uma alegria e ser o que sou… isso é incrível!!!! Estou feliz e contente por cada pedaço que eu mesma contribui em ser e o que eu sou.

Eu Sou a maior Dádiva deste mundo!!! Eu Sou o tesouro mais valioso deste mundo! Eu Sou essa Luz que sempre busquei!!! Eu Sou a Luz Ilimitada!!

E Eu Sou muito feliz por isso!!!

Agora, isso me fez lembrar de um filme lindo que assisti chamado Stardust – O Mistério da Estrela , que é um conto de fadas as avessas baseado na novela de Neil Gaiman, onde as estrelas caíam na terra e as bruxas a sacrificavam pela sua tamanha luz e fonte de juventude eterna. No filme, aquela lindinha da Claire Danes é a estrela cadente, quando ela se sentia feliz e confortável ela brilhava tanto que as pessoas percebiam a Luz em volta dela.

É assim que estou me sentindo agora, esta Luz que não quer se apagar, brilhante e esplendorosa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s