Escrever, conhecimento e aprendizado


Estou aqui de novo, só compartilhar que muitas coisas acontecem nos bastidores da vida e quase nada vai escrito aqui.

Realmente ano de 2021 tem sido intenso emocionalmente. Algumas redescobertas e alinhamentos.

Estudando sobre os chakras hoje, em particular o laringeo e, algumas coisas vieram exatamente para reforçar meus hábitos.

O chakra laringeo é responsável pela comunicação de nossa verdade e uma das principais recomendações é o hábito de escrever, ou ler em voz alta ou falar consigo mesmo através do uso de um espelho.

Então, há muito tempo tenho hábtio da escrita, eu amo escrever mas este habito ficou reduzido ao ambito estudioso do que tenho praticado em meu trabalho. Deixei a escrita criativa de minha sabedoria interior a poucos momentos inpiradores.

Queria escrever tudo que esta acontecendo nestes ultimos meses aqui no blog. Na verdade, ando feliz com estas descobertas e cuidados comigo. Autoconhecimento tem me ajudado muito com tudo isso e participar de grupos de estudos também.

Conectar-me a um grupo e poder expressar meu conhecimento tem me movido. Aliás, um movimento que desejo expandir para meu trabalho.

O que percebi neste últimos tempos é que, tenho absorvido um grande numero de conhecimento que já não tem cabido em meu coração e mente. Noites insones procurando maneira de me aperfeiçoar e buscar uma forma de me conectar as pessoas que se interessem pelo meu conteudo através de minha sabedoria e conhecimentos agregados.

Observando minha consciência, percebi que julgo não saber nada porém, na ultima viagem, percebi o quanto tenho de conhecimento perto de outras pessoas. Não que esteja julgando-me superior mas estava me subestimando. Tem muitas pessoas que sabem bem menos que eu, enquanto ficar só absorvendo e não compartilhando para a posterioridade todo este conhecimento, talvez uma vida de estudos seja um tanto vazia.

O aprendizado só é completo quando compartilhamos daquilo que sabemos aqueles que estejam realmente interessados neste saber. Cada um tem um experiencia unica de aprendizado e a forma de explicar o que entendeu. E desejo muito poder dar aulas um dia, ou ter um grupo de estudos, falar sobre assuntos que tanto amo.

Preciso lembrar-me do foco!! Preciso ter foco para construir isso para logo! Porém, estou me dando o tempo de observação este ano, tentando engolir menos cursos e experienciar bem mais minhas teorias.

Por hoje é só isso.

Reflexões no silencio da madrugada


Bom dia.

Aproveitando momentos do silêncio da madrugada para trazer reflexões pessoais e releitura de livros que mexeram no meu “queijo” no passado.

Livro: A grande mudança. Como participar da criação de um novo mundo a partir de 2012. Vários autores.

Um livro de canalizações espirituais que li em 2012-2013 e que trouxeram-me respostas. Neste período foi muito difícil para mim, estava realmente na transição de uma velha energia para uma nova. Ainda relendo este, a entidade Kryon, canalizada por Lee Carroll, fala sobre as mudanças energéticas a partir do ano de 2007 até 2012 para criar um novo padrão de energia nos humanos e no planeta. Muitas informações valiosas que fazem muito sentido a minha vida.

Confesso que relendo os anos de 2007 e 2008 trouxeram-me muitas lembranças. Ano 2007, estava feliz com meu novo emprego, novo namorado, 2o ano da faculdade. Neste ano tive mudança de chefe no estágio e senti-me totalmente paralisada. Não tinha a quem recorrer, era uma pessoa extrovertida mas tinha horror de me abrir! Tinha medo da reprovação de meus sentimentos e de meu jeito de ser. Eu tinha muito medo de me expressar verbalmente e, nesta época, meu refúgio eram as leituras, meditações e reflexões espirituais até que criei meu primeiro blog o “acayra do deserto”. Neste blog ao qual escrevo, postava sobre meus sentimentos e mensagens que encontrava da e sobre espiritualidade.

Em 2008, meu blog crescia em público, tinha largado de meu namorado por medos e inseguranças bobas (meu atual amor, voltamos mais felizes que nunca) comecei me abrir mais com as pessoas mas de um modo errado e perigoso. Estava sendo ingênua enxergando que o mundo era cor de rosa e queria que as pessoas tivessem está visão. Foi neste ano que conheci uma pessoa na empresa que ajudou a me enxergar de um forma diferente mas que doeu muitas de suas palavras. Eu me sentia querida em meu trabalho mas as coisas andaram totalmente sem rumo. Estava cheia de falsas projeções, todas elas vinham de meu ser. Projetei um amor platônico pelo meu ex chefe na época. E hoje entendo o por quê, exergava suas qualidades que na verdade habitavam-me e nem sabia que naquela época existia! Fico pensando o quão tola fui e nas atitudes bem infantis que tomei na época. Passei alguns anos sonhando com meu ex chefe e aquele lugar até entender que tinha que integrar aquele conteúdo inconsciente a minha consciência. Hoje vejo que tenho muitas das qualidades que projetei e que, na minha imaginação na época, confundi com “paixão”. Tenho vergonha só de imaginar se alguém além de uma pessoa amiga do chefe tinha percebido que estava “xonada” em sua pessoa.

Enfim, passei longos anos até este momento, colocando o ano de 2007–2008 como os melhores da minha vida. E sim, em parte foram maravilhosos mas apeguei-me a uma falsa imagem de quem era a Camila naquela época. Não chega nem na metade da pessoa que me tornei.

Nesta quarentena, uma de minhas reflexões pessoais foi exatamente essa: deixar minha mente mais presente, no hoje, aqui e agora. Não vagar minha mente nem no passado e nem ansiar pelo futuro. Passei anos para ter está compreensão hoje. Deixei de viver o presente como um presente querendo muito reviver o passado e ansiando o futuro que só dependia do que eu estava vivendo e sentindo.

Não faz sentido está corrida maluca de minha mente. Quando paro para analisar meus pais de agora para como estavam há 5 anos muita coisa mudou! Imagine a mim? Tenho a nítida sensação que perdi oportunidades de viver momentos felizes, ter prestado atenção em detalhes, mais olho no olho com eles e outras pessoas que não dei-me a chance.

Preciso curar esta imagem Santa e maculada que criei destes anos e fazer que os outros vindouros fossem apagados. Tenho que assumir que vivi conforme meus instintos e emoções. Não senti-me presente de espírito só deixei-me levar pelas circunstâncias e momentos. Uma inércia de minha consciência, minha pequenez emocional.

Só depois que decidi trabalhar-me através de terapias que tomei consciência de meu poder pessoal.  Graças ao Reiki, terapia clínica e principalmente as plantas, ao reino vegetal, a aromaterapia, após ingressar neste mundo maravilhoso, tomei Consciência de quem eu sou, soltando emoções, padrões que estavam em minha energia. Há muito que se conhecer e trabalhar. Não desistirei de tornar uma versão melhor de mim daqui para frente.

Perdas: vida que se transforma


Faço aqui uma reflexão relacionado a uma conversa que tive sobre:  por que perdemos (pessoas ou coisas) se na verdade não/nunca a possuímos?

Quando falamos em perda fica a sensação de posse, meu namorado, meu amigo, meu carro, meu dinheiro. A dor da perda provém da falsa sensação de posse do ego.

Sentimento de perda são reconhecidos como uma ilusão. A vida é transitória e cíclica, se renova e transforma constantemente. Vida-morte-vida.

As perdas na verdade são mais uma chance dada a você para se renovar e reinventar. Fazê-lo despertar de algo ou algum conceito muito maior daquilo que se perdeu.

Parafraseando Lavoisier: ” Na vida-natureza nada se perde, tudo se transforma”.

The Man in the high castle


Finalizei mais uma série da Amazon prime, o Homem do Castelo Alto.

Sei que a série foi baseada num livro e traz muitos aspectos a respeito dos temas política, poder e mundos paralelos da física quântica.

A série é muito interessante pois retrata uma história alternativa sobre o império nazista.

Tenho uma péssima mania de torcer para personagens que morrem logo ou os vilões, acho que é uma fraqueza minha RS…

Enfim não quero falar sobre o lado político e nem no mérito dos personagens mas a reflexão que deixou a respeito dos mundos paralelos.

O que senti durante toda a história é que cada vez que os personagens iam e voltavam destes mundos alguma coisa alterava. As situações de poder e subserviência repetiam para ambos os lados, como a teoria do efeito borboleta. Mostrou o lado sombrio de nós, o efeito sombra, aquilo que rejeito e persigo também sou perseguido.

Cada personagem sentiu o gosto e a alegria de serem “personas” em lados diferentes na trama. Muito interessante ver desta forma como seria também a nós experienciarmos nossas vidas assim. Ou sabermos que “vidas passadas” não são apenas sombras e sim uma realidade e que estamos aqui para alterar o padrão que confinamos a nossa vida atual.

No seriado temos personagens “viajantes” do tempo e espaço, conhecendo várias facetas de mundos e bem como suas próprias faces. Uma reação extraordinária de questões como “como seria o mundo se a segunda guerra tivesse sido ganha pela Alemanha?” ou “como seria a história de minha família” já que muitas que moram aqui, por exemplo, vieram de antepassados em fuga em relação a guerra.

São pontos de vistas a se pensar e questionar a respeito da realidade. Qual é a sua realidade? Que realidade você tem proporcionado a sua vida? Como você faria para viver uma vida em uma realidade diferente da atual?

Pense nisso.

Amor próprio


Eu Sou Luz!
Eu Sou Luz!

 

 

Lembrei-me de uma frase que em meditação após uma aula de yoga ficou ressoando dentro do meu ser, quando me vi em um vasto campo de flores violetas e azuis, deitada sobre elas.

Não consegui repuplicar o post, mas estou reescrevendo na íntegra o que nele continha.

A observação a mais é que, naquela época, quando isso me ocorreu, senti um conforto muito grande porém, não estava em compreensão. Acredito que agora estou no momento onde posso compreender profundamente o por que e o real significado, daquela frase tão bela que me ocorreu em meditação.

Simples e puramente verdade do Ser.

“O amor não existe lá fora, ele existe num lugar onde poucos o enxergam e procuram: dentro de nós mesmos.”

Agora olho para dentro de mim e reconheço o quanto estive vagando até achar o tesouro mais belo, mais precioso e mais brilhante de todo o Universo.

Simplesmente o Amor Verdadeiro e Sincero por mim!

 Já não tenho vergonha e culpa do que sou, fiz, deixei ou não de fazer, é como se águas borbulhantes e agitadas dentro de mim estão começando a ficar calmas e translúcidas. As coisas estão ficando cada vez mais claras e óbvias, não devo temer, devo confiar e seguir amando, independente do que aconteça.

Estive perdida e agora me achei, estive olhando para um horizonte ao longe no qual estive lá e não reconheci que era o mesmo.

Estou imensamente sentindo “dentro de mim”, como se eu “me pertecesse” e sinto uma alegria e ser o que sou… isso é incrível!!!! Estou feliz e contente por cada pedaço que eu mesma contribui em ser e o que eu sou.

Eu Sou a maior Dádiva deste mundo!!! Eu Sou o tesouro mais valioso deste mundo! Eu Sou essa Luz que sempre busquei!!! Eu Sou a Luz Ilimitada!!

E Eu Sou muito feliz por isso!!!

Agora, isso me fez lembrar de um filme lindo que assisti chamado Stardust – O Mistério da Estrela , que é um conto de fadas as avessas baseado na novela de Neil Gaiman, onde as estrelas caíam na terra e as bruxas a sacrificavam pela sua tamanha luz e fonte de juventude eterna. No filme, aquela lindinha da Claire Danes é a estrela cadente, quando ela se sentia feliz e confortável ela brilhava tanto que as pessoas percebiam a Luz em volta dela.

É assim que estou me sentindo agora, esta Luz que não quer se apagar, brilhante e esplendorosa.