Escrever, conhecimento e aprendizado


Estou aqui de novo, só compartilhar que muitas coisas acontecem nos bastidores da vida e quase nada vai escrito aqui.

Realmente ano de 2021 tem sido intenso emocionalmente. Algumas redescobertas e alinhamentos.

Estudando sobre os chakras hoje, em particular o laringeo e, algumas coisas vieram exatamente para reforçar meus hábitos.

O chakra laringeo é responsável pela comunicação de nossa verdade e uma das principais recomendações é o hábito de escrever, ou ler em voz alta ou falar consigo mesmo através do uso de um espelho.

Então, há muito tempo tenho hábtio da escrita, eu amo escrever mas este habito ficou reduzido ao ambito estudioso do que tenho praticado em meu trabalho. Deixei a escrita criativa de minha sabedoria interior a poucos momentos inpiradores.

Queria escrever tudo que esta acontecendo nestes ultimos meses aqui no blog. Na verdade, ando feliz com estas descobertas e cuidados comigo. Autoconhecimento tem me ajudado muito com tudo isso e participar de grupos de estudos também.

Conectar-me a um grupo e poder expressar meu conhecimento tem me movido. Aliás, um movimento que desejo expandir para meu trabalho.

O que percebi neste últimos tempos é que, tenho absorvido um grande numero de conhecimento que já não tem cabido em meu coração e mente. Noites insones procurando maneira de me aperfeiçoar e buscar uma forma de me conectar as pessoas que se interessem pelo meu conteudo através de minha sabedoria e conhecimentos agregados.

Observando minha consciência, percebi que julgo não saber nada porém, na ultima viagem, percebi o quanto tenho de conhecimento perto de outras pessoas. Não que esteja julgando-me superior mas estava me subestimando. Tem muitas pessoas que sabem bem menos que eu, enquanto ficar só absorvendo e não compartilhando para a posterioridade todo este conhecimento, talvez uma vida de estudos seja um tanto vazia.

O aprendizado só é completo quando compartilhamos daquilo que sabemos aqueles que estejam realmente interessados neste saber. Cada um tem um experiencia unica de aprendizado e a forma de explicar o que entendeu. E desejo muito poder dar aulas um dia, ou ter um grupo de estudos, falar sobre assuntos que tanto amo.

Preciso lembrar-me do foco!! Preciso ter foco para construir isso para logo! Porém, estou me dando o tempo de observação este ano, tentando engolir menos cursos e experienciar bem mais minhas teorias.

Por hoje é só isso.

Reflexões no silencio da madrugada


Bom dia.

Aproveitando momentos do silêncio da madrugada para trazer reflexões pessoais e releitura de livros que mexeram no meu “queijo” no passado.

Livro: A grande mudança. Como participar da criação de um novo mundo a partir de 2012. Vários autores.

Um livro de canalizações espirituais que li em 2012-2013 e que trouxeram-me respostas. Neste período foi muito difícil para mim, estava realmente na transição de uma velha energia para uma nova. Ainda relendo este, a entidade Kryon, canalizada por Lee Carroll, fala sobre as mudanças energéticas a partir do ano de 2007 até 2012 para criar um novo padrão de energia nos humanos e no planeta. Muitas informações valiosas que fazem muito sentido a minha vida.

Confesso que relendo os anos de 2007 e 2008 trouxeram-me muitas lembranças. Ano 2007, estava feliz com meu novo emprego, novo namorado, 2o ano da faculdade. Neste ano tive mudança de chefe no estágio e senti-me totalmente paralisada. Não tinha a quem recorrer, era uma pessoa extrovertida mas tinha horror de me abrir! Tinha medo da reprovação de meus sentimentos e de meu jeito de ser. Eu tinha muito medo de me expressar verbalmente e, nesta época, meu refúgio eram as leituras, meditações e reflexões espirituais até que criei meu primeiro blog o “acayra do deserto”. Neste blog ao qual escrevo, postava sobre meus sentimentos e mensagens que encontrava da e sobre espiritualidade.

Em 2008, meu blog crescia em público, tinha largado de meu namorado por medos e inseguranças bobas (meu atual amor, voltamos mais felizes que nunca) comecei me abrir mais com as pessoas mas de um modo errado e perigoso. Estava sendo ingênua enxergando que o mundo era cor de rosa e queria que as pessoas tivessem está visão. Foi neste ano que conheci uma pessoa na empresa que ajudou a me enxergar de um forma diferente mas que doeu muitas de suas palavras. Eu me sentia querida em meu trabalho mas as coisas andaram totalmente sem rumo. Estava cheia de falsas projeções, todas elas vinham de meu ser. Projetei um amor platônico pelo meu ex chefe na época. E hoje entendo o por quê, exergava suas qualidades que na verdade habitavam-me e nem sabia que naquela época existia! Fico pensando o quão tola fui e nas atitudes bem infantis que tomei na época. Passei alguns anos sonhando com meu ex chefe e aquele lugar até entender que tinha que integrar aquele conteúdo inconsciente a minha consciência. Hoje vejo que tenho muitas das qualidades que projetei e que, na minha imaginação na época, confundi com “paixão”. Tenho vergonha só de imaginar se alguém além de uma pessoa amiga do chefe tinha percebido que estava “xonada” em sua pessoa.

Enfim, passei longos anos até este momento, colocando o ano de 2007–2008 como os melhores da minha vida. E sim, em parte foram maravilhosos mas apeguei-me a uma falsa imagem de quem era a Camila naquela época. Não chega nem na metade da pessoa que me tornei.

Nesta quarentena, uma de minhas reflexões pessoais foi exatamente essa: deixar minha mente mais presente, no hoje, aqui e agora. Não vagar minha mente nem no passado e nem ansiar pelo futuro. Passei anos para ter está compreensão hoje. Deixei de viver o presente como um presente querendo muito reviver o passado e ansiando o futuro que só dependia do que eu estava vivendo e sentindo.

Não faz sentido está corrida maluca de minha mente. Quando paro para analisar meus pais de agora para como estavam há 5 anos muita coisa mudou! Imagine a mim? Tenho a nítida sensação que perdi oportunidades de viver momentos felizes, ter prestado atenção em detalhes, mais olho no olho com eles e outras pessoas que não dei-me a chance.

Preciso curar esta imagem Santa e maculada que criei destes anos e fazer que os outros vindouros fossem apagados. Tenho que assumir que vivi conforme meus instintos e emoções. Não senti-me presente de espírito só deixei-me levar pelas circunstâncias e momentos. Uma inércia de minha consciência, minha pequenez emocional.

Só depois que decidi trabalhar-me através de terapias que tomei consciência de meu poder pessoal.  Graças ao Reiki, terapia clínica e principalmente as plantas, ao reino vegetal, a aromaterapia, após ingressar neste mundo maravilhoso, tomei Consciência de quem eu sou, soltando emoções, padrões que estavam em minha energia. Há muito que se conhecer e trabalhar. Não desistirei de tornar uma versão melhor de mim daqui para frente.

O inconsciente ajudando a reconhecer os erros do passado profissional


Bom dia.
Vou escrever um sonho que tive esta noite e que me trouxe alguns entendimentos que até então, não estavam muito claros para mim. Existia mágoa, apego e incompreensão da situação que vivi em relação ao trabalho.
Estagiei numa empresa de grande porte e, houve algumas mudanças inclusive de chefe, que naquela época, não tinha a mesma maturidade que tenho em relação ao trabalho atualmente. Quando troquei de chefe fiquei perdida, pois um era mais atencioso, ensinava e orientava e, o outro, pedia o que queria e me deixava livre para fazer o que tinha de ser feito. Achava que chefe, tinha que ficar no pé cobrando prazos, datas e trabalhos a serem feitos.
Enfim, quando mudei de chefe, achei estranho, pois ele quase não vinha me trazer coisas novas, ficava caçando o que fazer e, muitas vezes, o pessoal da área já estava comprometido a fazer algo. Então, decidi ir falar com meu chefe sobre isso, pois me sentia incomodada em ficar de mãos abanando. Ele começou a me passar e ensinar coisas para fazer, demorei a princípio para fazer, pois eram muitas informações a serem trabalhadas, e que finalmente, foram realizadas. Comecei a exigir mais coisas para fazer e aprender, e ele me pediu para acompanhar o pessoal do laboratório e da produção. Sei que isso incomodou algumas pessoas na época, mas o que mais queria era aprender e crescer ali, só que não sabia como e nem para onde.
Neste meio tempo, quando ficava sozinha na sala, tinha muitas inspirações espirituais, insights e virava e mexia estava em meu antigo blog escrevendo sobre eles. Quando estava de saco cheio, ia fazer outras coisas em outro setor, já que meu trabalho os abrangia. A empresa era grande, e decidia, “andar”, levando documentações para outros setores que se envolviam com minha área.
Confesso que tinha uma postura muito menina, ria e conversava a toa e tudo e com todos, sem distinção. Para mim trabalhar ali, na época, era uma imensa diversão. Havia uma pessoa que não gostava de mim pois me achava infantil e ela declarava isso para qualquer um que viesse perguntar. De certa forma, percebia que as pessoas me levavam na brincadeira, mas não se importavam de vir falar comigo a respeito de minha postura, ou passar coisas novas as quais eu pudesse me ocupar. Afinal, havia muita gente “acomodada” em seus serviços naquele local, pegando assistentes e estagiários para passarem suas obrigações a eles e os próprios ficarem em suas salas apenas coordenando. Havia muita coisa a se fazer ali, mas nem todos tinham vontade de começar. Foi aí que começam alguns problemas, mandaram gente embora, estruturaram as equipes, realizaram inúmeras reuniões com os funcionários a fim de melhorar o serviço.
Nesta período, comecei a me interagir e compreender muitas coisas sobre a produção e o laboratório. Não tinha experiencia em muitas coisas ali e que para mim eram novas. Busquei em textos e pessoas o entendimento de como funcionava as coisas.
Por falta de capacidade não foi, mas simplesmente senti um descaso em relação a minha pessoa, por ser mulher e não ter engenharia o que para eles era o must have. Isso na minha visão pessoal. Na hora que chamei a responsabilidade para mim, meu estágio tinha finalizado e eles não quiseram me contratar. Descobri três meses depois que um estagiário que atuava comigo tinha sido contratado mas não em meu lugar.
Então, toda esta situação ficou incompreendida por mim. Fiquei frustada com outras coisas que aconteceram na época que acredito que tenham influenciado isso. A empresa era excelente, tinha ótimos benefícios e o ambiente era até que descontraído, havia muito mais homens que mulheres trabalhando, acredito que isso gerava alguns atritos ali dentro. Sei que atualmente não há mais muitas mulheres trabalhando no setor que atuei.
Admito que tive minha parcela de culpa, talvez eu mesma relaxei em alguns aspectos, fiquei acomodada, mas não foi por maldade ou propósito. Só sentia-me desmotivada quando alguma coisa nova não entrava. Perguntava-me muitas vezes se ficaria ali fazendo as mesmas coisas sempre sem que alguém se importasse. Era estranho, mas realmente o pessoal não tinha um interesse de me passar coisas. Acabei descontando isso em conversas na hora do trabalho e acessos à internet.
Em relação ao sonho desta noite trouxe-me a clareza das coisas. Sonhei que tinha ido a empresa conversar com meu ex chefe, cobrar um entendimento da situação, pois estava insatisfeita de me sentir culpada por tudo. Então, ele falou-em que eu conversava e brincava demais na hora do serviço, não levava as coisas tão a sério, ficava trazendo e fazendo coisas que não era do trabalho, ele falou “brinquedos”, mas na verdade era minha caixinha de som pois colocava musica para ouvir bem baixinho. Disse-me com todas as letras que não ia voltar atrás, pois acabei também atrapalhando o andamento de setores e que outras pessoas vieram reclamar de minha parte para ele.
Então, no auge de minha raiva defendi dizendo ao meu ex chefe tudo que sentia, que ele fazia descaso de mim, que não prestou nem para me ensinar coisas novas, cobrar-me as atitudes que ele queria que tivesse, não soube me moldar de acordo com seu estilo de trabalho, afinal, muitos chefes fazem isso. Querem que seus funcionários trabalhem ao seu estilo e conduta. Falei que ele não soube cobrar as coisas de mim, que compreendo que tive minha parcela de culpa. Nisso um rapaz que trabalhava na mesma sala que eu, estava perto no computador, somente ouvindo. Então, apontei para ele dizendo que tinha me dedurado para o chefe e que ele também muitas vezes ficava lá na sala comigo, conversando, vendo coisas na internet. Ainda teve o cinismo no sonho de negar que tinha falado algo.
Então, compreendi que aquele lugar não era para mim, se não fiquei por lá não foi por falta de competência de minha parte e sim de quem me coordenava em passar informações. Não souberam utilizar a minha inteligencia e mão de obra para o trabalho e então, vendo desta forma, agia de forma escapista, com conversas e o uso da internet.
Sei que houve uma época que meu chefe havia me dito que gostava de pessoas que soubessem “pescar sozinhas”, sei que muitas vezes tinha esta atitude, mas quando olhava para os lados e não tinha muito o que fazer, pois quando eu via, estava entretida com o trabalho que era de responsabilidade de outro.
Quando entrei no outro emprego após a esta experiência, isso me ajudou a crescer muito. Soube pescar sozinha muitas vezes, tive muitas dificuldades, mas consegui vencê-las. Fui muito bem reconhecida, mas levei o trabalho a ferro e fogo com muita responsabilidade. Cheguei a ficar doente pois para mim um erro era um desastre. Percebi que levei minha vida profissional aos extremos opostos e, hoje quero levá-la apenas ao caminho do meio, do equilíbrio e da tranquilidade para realização de meus trabalhos e tarefas.
Obrigada a Divindade e ao inconsciente por ter me proporcionado esta revelação.

Seja de Atitude


NO TRABALHO

Seja ético.

A vitória que vale a pena é a que aumenta sua dignidade e reafirma valores profundos.
Pisar nos outros para subir desperta o desejo de vingança.
Seja grato(a) a quem participa de suas conquistas.
O verdadeiro campeão sabe que as vitórias são alimentadas pelo trabalho em equipe.
Agradecer é a melhor maneira de deixar os outros motivados.
Eleve suas expectativas.
Pessoas com sonhos grandes obtêm energia para crescer.
Os vencedores pensam em como realizar seu objetivo.
Tenha metas claras.
Ter objetivos evita desperdícios de tempo, energia e dinheiro.
Amplie os seus relacionamentos profissionais.
Os amigos são a melhor referência em crises e a melhor fonte de oportunidades na expansão.
Ter bons contatos é essencial em momentos decisivos. Jogue fora o vício da preocupação.
Viver tenso e estressado está virando moda.
Parece que ser competente e estar de bem com a vida são coisas incompatíveis.
Bobagem …Defina suas metas, conquiste- as e deixe as neuras para quem gosta delas.

NO AMOR


Acredite sempre no amor.
Não fomos feitos para a solidão.
Se você está sofrendo por amor, está com a pessoa errada ou amando de uma forma ruim para você.
Caso tenha se separado, curta a dor, mas se abra para outro amor.
E se estiver amando, declare o seu amor.
Cada vez mais, devemos exercer o nosso direito de buscar o que queremos (sobretudo no amor).
Mas atenção: elegância e bom senso são fundamentais. Arrisque!
O amor não é para covardes.
Quem fica a noite em casa sozinho, só terá que decidir que pizza pedir.
E o único risco será o de engordar, mas lembre-se.
“Curta muito a sua companhia.”
Casamento dá certo para quem não é dependente.
Aprenda a viver feliz – mesmo sem homem/mulher ao lado.
Se não tiver com quem ir ao cinema, vá com a pessoa mais fascinante: VOCÊ!

NA AMIZADE



Tenha amigos vencedores .
Campeões falam com campeões.
Aproxime-se de pessoas com alegria de viver.
Celebre as vitórias.
Compartilhe o sucesso, mesmo as pequenas conquistas,
com pessoas queridas.
Grite, chore, encha-se de energia para os desafios seguintes.

NO PESSOAL


Perdoe! Enterre o passado para viver feliz.
Todo mundo erra, a gente também.
Tenha uma vida espiritual.
Conversar com Deus é o máximo, especialmente para agradecer.
Reze antes de dormir.
Faz bem ao sono e a alma.
Oração e meditação são fontes de inspiração .

“Todo dia temos a opção de viver plenamente.
Afinal de contas,
ATITUDE É TUDO” !

(Desconheço o autor)