O Vaso II




O vaso
Está a espera de ser escolhido
Dentre a imensidão de uma loja
Ele quer ser o escolhido
E compor a decoração, a canção
De um ambiente feliz e harmonioso
E assim espera por flores e perfume
Água e sol…
Ele quer ser escolhido dentro tantos naquela loja.

Camilla Murer
(16/04/14)

Declaração de amor


Amor, eu te amo tanto que não te quero…
Não te quero apenas para pertencer
Não te quero apenas por um momento singular
Não te quero apenas para apegar
Te quero sorrindo sempre
Te desejo sendo livre
De tudo aquilo que pode aprisionar as nossas necessidades
E que a mesma não se sobressaia

Mais um poema sobre desejo


Eu lhe desejo, amor, como alguém que tem  fome
Fome de teus beijos, dos seus olhos e do seu abraço

Desejo nossos corpos em amor e carne
Possuídos por um desejo inebriante
Onde a alma pudesse rasgar nossos receptáculos

Transbordássemos de luzes e sombras
Tirando cada cortina, cada véu sobre elas
Onde nossos desejos subissem aos céus

O ardor que todo o desejo puro e intenso me traz
É viver intensamente esta experiencia contigo
Se apresse, não se demore, usufrua de meu prazer

Te darei o meu melhor sempre
O meu coração, meu toque e meu mel
Sinto a saudade do teu jeito, do teu gosto e do teu cheiro

Encarando a mim e marcado sobre minha pele
Toda marca de luz e sombra
Que sua alma me traz.

Camilla Murer
(07/01/14)

Poema de Pablo Neruda


“…Me encante com suas palavras…
Me fale dos seus sonhos, dos seus prazeres.
Me conte segredos, sem medos,
E depois me diga o quanto te encantei.

Me encante com serenidade…
… Mas não se esqueça também,
Que tem que ser com simplicidade…

Me encante com uma certa calma,
Sem pressa. Tente entender a minha alma…

Me encante sem dizer nada, ou até dizendo tudo.
Sorrindo ou chorando. Triste ou alegre…
Mas, me encante de verdade, com vontade…

Que depois, eu te confesso que me apaixonei,
E prometo te encantar por todos os dias…
Pelo resto das nossas vidas!!!”

Pablo Neruda

Quando um coração está cansado de sofrer…


Sabe o que eu queria
Quando encontrar a pessoa certa
Soubesse de uma certeza profunda em meu coração
Para abraçar com carinho esta pessoa
e permitir que ela me entre coração adentro.
A certeza de que esta pessoa não irá passar por cima
de nossos sentimentos, de nossos corpos, de nossos desejos…
Aceitar plenamente como somos com toda a nossa sanidade e insanidade.
Queria sentir algo extraordinário…
sabe quando o coração grita e diz: É ELE! É ELE! AGARRA E NÃO SOLTA!
Mas ás vezes me pergunto ao coração quando estou com alguém
e aí ele não me diz nada…
então, o que posso fazer com essa pessoa?
Aproveite… é só isso que meu coração responde.
Não temos controle sobre ninguém,
Nem a certeza de nada
Muito menos se seremos felizes para sempre.

(O tema deste texto é uma frase de uma musica ouvia interpretada por Caetano Veloso – Caminhos Cruzados enquanto escrevia o texto conversando com uma amiga.)
Camilla M.
(05/11/13)

Um verso sombrio


Sozinha em meus pensamentos
Vejo uma sombra a salutar
Uma tristeza e uma inercia tomam conta
Do ser, dos meus lábios e de meu rosto
Como se as trevas estivessem sobre minha aura

Algo estranho reverbera de dentro pra fora
A falta de Luz, a solidão, o medo, o frio
Coisas estranhas
Um sentimento depressivo, triste
Uma sombra que cobre meu rosto feliz

O lado escuro de minha alma está assoviando
Pela minha mente, pelo meu umbigo
Chamando-me a Luz a elas

Meus olhos enchem-se de lágrimas
A falta de algo maior, um vazio
Meu coração se enche de algo incontido
Como gotas de água em um balde
Pingando, pingando, pingando…

Ouço uma canção triste,
Uma canção saudosista, querendo,
possuir, amor, loucura, tristeza
É a poetisa, essa pequena parte boemia
Poema sem poetisa, sem tristeza
que toca a alma e escreve nos muros de nossa consciência
As coisas humanas que sentimos…