AS ENERGIAS DE SETEMBRO DE 2013 – Mensagem de Jennifer Hoffman


AS ENERGIAS DE SETEMBRO DE 2013

Mensagem de Jennifer Hoffman

3 de Setembro de 2013

 

 

A palavra-chave para Setembro é “receber”, o que inclui reconhecer, aceitar e amar cada aspecto de nós mesmos, assim poderemos reunir a nossa energia para darmos o próximo salto em nossa jornada da ascensão.

 

Temos dois tipos de energia operando neste mês: a limpeza dos detritos, que ocorre na primeira parte do mês. Então, começando com o Equinócio em 22 de Setembro, poderemos “decolar para novas estratosferas”. Isto não mais se refere a estar disposto a explorar partes desconhecidas, trata-se de ser o impulso criativo por trás da revelação de um novo paradigma.

 

Setembro tem o potencial para uma evolução poderosa quando compreendermos que para onde vamos, o que fazemos e o que acontecerá quando lá chegarmos, é o resultado do que estamos criando através de nossa intenção.

 

Algumas vezes, o nosso caminho está bloqueado e não compreendemos o motivo, assim observamos uma área em que estamos tendo mais dificuldades e culpamos nossos problemas por esta situação ou problema. Mas nada da atual transformação está concentrado em uma área, embora possamos sentir como se isto estivesse sendo experienciado em uma área.

 

Seu propósito é para que fiquemos tão focados em nossa cura, sem permitirmos que nada nos distraia, que permitimos que ocorra a cura. Quando estamos fazendo uma grande transformação, estamos também movimentando grandes quantidades de energia (na forma de crenças e de emoções), e é disto que se trata a nossa transformação agora: limpar, liberar e renovar.

 

Não se trata de começar de novo, agora se trata de começar de uma maneira nova.

 

Este caminho para novos inícios pode ficar bloqueado ou limitado pelas velhas “coisas”, o que inclui padrões de crença e comportamento, sentimentos, pensamentos e emoções, uma incapacidade de ver o futuro além de nossa atual situação ou julgamentos que não lhes permitem ver outras opções.

 

Quando nos aproximamos do final de um ciclo de energia e estamos preparados para entrar em novos potenciais, aproximamo-nos do “buraco da agulha”, um estreitamento do nosso caminho que nos obriga a aliviar a nossa carga, por assim dizer, de tudo o que não esteja mais em integridade ou alinhado com a vibração e a dimensão em que queremos entrar.

 

Isto acontece na primeira metade de Setembro e pode parecer que a carga a liberar é maior do que o que vocês estão liberando. E vocês podem ter que liberar muito pouco, nada ou muito, dependendo do que vocês definiram como a sua intenção e como estão alinhados com isto no momento presente.

 

Isto significa uma reestruturação radical de nossas vidas, começando com os nossos sistemas de crenças, que é onde toda a nossa realidade começa.

 

O que vocês vêem como o seu potencial, além das mágoas, da dor e da cura?

 

Onde as suas velhas coisas serviram a um propósito e que novos caminhos vocês podem criar para si mesmas sem elas?

 

Aquilo que não for mais uma fonte de alegria para vocês, serviu ao seu propósito, e tentar reviver, reavivar ou reiniciar, somente será uma fonte de frustração.

 

A parceria energética que uma vez vocês compartilharam está concluída.

Agora é o momento de se desconectar dela e criar uma nova conexão com outra coisa.

 

E lembrem-se de compreender tudo o que vocês estão liberando, porque tudo faz parte de vocês e do caminho que criaram para a sua vida. Quando vocês liberam com um espírito de gratidão amorosa, vocês criam um espaço poderoso e expandido para que algo entre em sua vida, em um fluxo de gratidão.

 

As energias de Setembro nos posicionam para vermos além da cura, para conhecermos a nossa própria sabedoria e nos vermos como curados, íntegros e merecedores da paz, da alegria, do amor e da abundância que estamos buscando.

 

O resto de 2013 poderá ser um pouco instável (certamente será agitado e poderá ser mais fácil cuidar destas coisas agora, quando pudermos ter o nosso tempo, do que mais tarde). Usem a primeira metade do mês para fazerem a sua faxina energética e emocional, para que após o dia 22 de Setembro, vocês estejam livres para voar para os seus novos inícios.

 

Tenham um ótimo mês.

http://stelalecocq.blogspot.com/2013/09/as-energias-de-setembro-de-2013.html

http://www.urielheals.com

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Grata Regina!

 

Fonte: http://stelalecocq.blogspot.com.br/

Anúncios

Desabafo 31


Poxa fazia maior tempão que não aparecia por aqui e principalmente para postar algo.

E, também, escrever um desabafo.

Mais uma vez agradeço aos comentários e ao carinho de todos que comentam e participam e também pela compreensão, claro.

Vocês nem acreditam tanta coisa passou e tanta coisa vem passando comigo.

Recentemente desempregada, muitas coisas acontecendo na minha vida particular que, minha nossa, sinto passada às vezes, ou elas passam quando vi,  já foram.

Tem muita coisa sendo limpa em mim, tanto por dentro quanto por fora. Tenho aprendido muitas coisas nestas limpezas interiores, reformulando idéias e conceitos importantes em minha vida. Procuro ficar mais no silêncio e solidão do que ao agito e barulho. 

Uma coisa que tem me tocado profundamente é no quesito amizades. Antes via-me uma pessoa abençoada, rodeada por pessoas que gostava muito. Infelizmente ou felizmente, as pessoas vão mostrando suas verdadeiras faces e conseguimos enxergar muito além do que elas são.

Antes estava inserida num grupo, agora me vejo totalmente fora dele. Sinto-me como um peixe  fora d´água com os assuntos, com as pessoas, até me parecem desconhecidas.

Tenho feito isso também no meu orkut, um limpeza total de pessoas, mas não por motivos particulares e pendentes a elas, mas por escolha. Escrevi ainda que não eram nada com elas e sim uma escolha minha.

Prefiro hoje a qualidade do que a quantidade de amizades, desde que me sejam caras e verdadeiras. Tive algumas decepções com algumas pessoas que inclusive afastaram-se por si só, e, subentendo que elas não fariam parte do círculo de seres que quero continuar minha estrada rumo a evolução.

Às vezes me sinto agoniada, mas, em muitas vezes, grata por estas sensações e percepções com as pessoas e fatos.

Agradeço o carinho de todos e em breve voltarei com meus textinhos.

Fiquem bem na paz do Eu.

Camila Moreira

Seja Auntêntico…Por Osho


Excertos do livro “Intimidade – como confiar em sí mesmo e nos outros”, ed. Cultrix

Por Osho

Sinceridade significa autenticidade – ser sincero, não ser falso, não usar máscaras. Qualquer que seja o seu rosto verdadeiro, mostre-o, custe o que custar.

Lembre-se: isso não significa que você tenha de desmascarar os outros; se eles estão felizes com as mentiras deles, compete a eles se decidir. Não sai desmascarando ninguém, porque as pessoas são como são… seja verdadeiro consigo mesmo. Não é preciso que você corrija ninguém no mundo. Se você puder crescer sozinho, será o bastante. Não seja um reformador e não tente dar lições aos outros, não tente mudar os outros. Se você mudar, será o bastante como mensagem.

Ser autêntico significa permanecer verdadeiro consigo mesmo. Como permanecer verdadeiro? Lembre-se sempre de três regras. Uma, nunca dê ouvidos a ninguém quando dizem o que você deve ser. Ouça sempre a sua voz interior, o que você gostaria de ser; do contrário, vai desperdiçar sua vida inteira…

Preste atenção: a coisa mais importante é o seu ser. Não deixe que os outros manipulem você – e eles são muitos; todo mundo está pronto para controlar você, para mudar você, para lhe dar uma orientação que você não pediu. Todo mundo quer ser o guia da sua vida. O guia existe dentro de você; você tem o plano.

Ser autêntico significa ser sincero consigo mesmo…

O motivo pelo qual todo mundo parece tão frustrado é que ninguém ouve a própria voz… ouça sempre sua voz interior, e não ouça mais nada. Existem mil e uma tentações ao seu redor, porque muitas pessoas estão mascateando as suas coisas. É um supermercado; o mundo, e todo mundo nele está interessado em vender as próprias coisas a você. Todo mundo é um vendedor. Se der ouvidos a muitos vendedores, você vai ficar louco. Não dê ouvidos a ninguém, simplesmente feche os olhos e ouça sua voz interior. É para isso que existe a Meditação: para ouvir a voz interior.

A segunda regra mais importante – só se você cumprir a primeira regra poderá cumprir a segunda – nunca use uma máscara. Se estiver com raiva, mostre a sua raiva. É perigoso, mas não sorria, porque isso é ser falso. Mas lhe ensinaram que, quando você está com raiva, deve sorrir. Então seu sorriso torna-se falso, uma máscara – simplesmente um movimento dos lábios e nada mais. O coração está cheio de raiva, veneno, e os lábios sorrindo: você se torna um prodígio de falsidade.

Então também se manifesta uma outra reação: quando você quer sorrir, não consegue sorrir. Todo seu mecanismo está de cabeça para baixo porque, quando queria ficar com raiva, você não ficava; quando queria odiar você não odiava. Então você quer amar; de repente, você descobre que o mecanismo não funciona. Então você quer sorrir, você precisa forçar o sorriso. Realmente, o seu coração é todo sorrisos e você quer dar uma boa risada, mas não consegue rir… o sorriso não sai, ou ate mesmo, se sair, será um sorriso apagado e sem graça. Ele não deixa você feliz, você não se entusiasma com ele. Você não irradia nada.

Quando quiser ficar com raiva, fique com raiva. Não há nada errado em ficar com raiva. Se quiser rir, ria. Não há nada errado em dar uma risada. Pouco a pouco você vai ver que todo seu organismo voltou a funcionar direito… não use máscaras; do contrário você vai criar disfunções no seu mecanismo, bloqueios. Existem muitos bloqueios no seu corpo. A pessoa que reprime a raiva fica com a mandíbula bloqueada. Toda a raiva vai para a mandíbula e pára ali. As mãos ficam feias; elas não têm o movimento gracioso de um bailarino, não, porque a raiva chega aos dedos e os bloqueia. A raiva tem duas saídas para ser liberada: uma são os dentes, a outra são os dedos.

Se você reprime alguma coisa, existe no seu corpo alguma parte correspondente à emoção. Se você não quer chorar, os seus olhos vão perder o brilho… porque as lágrimas são necessárias; elas são um fenômeno muito vivo. Quando uma vez ou outra você deixa as lagrimas correrem – quando você realmente chora, você chora de verdade, e as lágrimas começam a correr dos seus olhos – os seus olhos se limpam, se revigoram, recuperando a juventude e a pureza.

Lembre-se: se não puder chorar sinceramente, você também não poderá rir, porque essa é a outra polaridade. As pessoas que conseguem rir também conseguem chorar; as pessoas que não conseguem chorar não conseguem rir.

E a terceira regra sobre a autenticidade… permaneça sempre no presente, porque tanto do passado quando do futuro é que vêm todas as falsidades. Porque o que passou, passou; não se preocupe com isso e não carregue como um fardo; do contrário isso não vai permitir que você seja autêntico em relação ao presente. E tudo que não aconteceu ainda não aconteceu. Não se incomode sem necessidade com o futuro, do contrário ele cairá sobre o presente e o destruirá. Seja verdadeiro em relação ao presente; então, você será autêntico. Nem passado, nem futuro – o momento é tudo. O momento é a eternidade inteira.

Siga essas três regrinhas e você vai conseguir ser sincero, verdadeiro, autêntico. Então, tudo o que você disser será verdade. Comumente, você pensa que precisa tomar cuidado para dizer a verdade; não é isso o que eu estou dizendo. Estou dizendo: crie autenticidade e tudo o que você disse será verdade.

A verdade não é uma coisa lógica. Por verdade eu quero dizer a autenticidade do ser; sem impor nada que você não seja, apenas sendo o que você é, independentemente dos riscos, nunca se tornando um hipócrita. Se você está triste, fique triste. Esta é a verdade; não a esconda. Não exiba um sorriso falso no rosto, porque esse sorriso falso cria uma divisão em você.

Quando você está com raiva e não demonstra a raiva… é porque tem medo de que essa demonstração prejudique a sua imagem, porque as pessoas pensam que você é compreensivo e dizem que você nunca fica com raiva. Elas gostam disso e isso é tão gratificante para o ego. Agora, ficar com raiva vai prejudicar a sua linda imagem; assim, em vez de prejudicar a imagem, você reprime a raiva. Você está fervendo por dentro, mas por fora continua compreensivo, bondoso, polido, doce. Aí acontece a divisão. As pessoas produzem essa divisão durante a vida inteira; então a divisão se torna absolutamente estabelecida. Mesmo quando você está sentado sozinho e não há ninguém por perto, e não há necessidade de fingir, você continua fingindo; isso se tornou um hábito arraigado e automático… Então, não é uma questão de ser verdadeiro ou falso; isso acabou por se tornar um hábito…

Por verdadeiro eu quero dizer não fingir. Seja exatamente o que você é – num momento você está triste… e no momento seguinte, se você ficar feliz, não há necessidade de continuar triste – porque também lhe ensinaram a ser sempre coerente, a permanecer coerente…

Assim, não é só quando está triste que você finge sorrisos; quando você quer sorrir, também finge tristeza por causa da idéia completamente estúpida de permanecer coerente. Cada momento tem a sua característica peculiar, e nenhum momento precisa ser coerente com nenhum outro momento. Assim, não é preciso se preocupar com a coerência. Ninguém que se preocupe com a coerência vai se tornar falso porque apenas mente com coerência. A verdade está sempre mudando. A verdade contém suas próprias contradições – e essa é a substância da verdade, essa é a sua vastidão, essa é a sua beleza.

Portanto, se você está se sentindo triste, fique triste – sem nenhuma censura, sem nenhuma avaliação como sendo bom ou mau. Não se trata de ser bom ou mau; isso simplesmente acontece. E quando acontece, deixe acontecer. Quando você começar a sorrir de novo, não se sinta culpado só porque há pouco estava triste; então, como pode sorrir? Quando estiver feliz, seja feliz; não há necessidade de fingir nada.

… Cada momento tem uma realidade atômica: ele é descontínuo em relação ao momento anterior e não está ligado ao momento futuro. Cada momento é atômico. Os momentos não se seguem uns aos outros em seqüência; eles não são lineares. Cada momento tem a sua própria maneira de ser e você deve ser isso, nesse momento, nada mais. É isso o que realmente é considerado como verdade.

Verdade significa autenticidade, verdade significa sinceridade. A verdade não é uma coisa lógica. Ela é um estado psicológico de ser verdadeiro – não verdadeiro de acordo com algum ideal, pois, se houver um ideal, você vai se tornar falso.

O homem verdadeiro não tem ideais. Ele vive momento a momento; ele sempre vive como se sente no momento. Ele é completamente respeitoso em relação aos próprios sentimentos, às próprias emoções, aos próprios humores. E isso é o que eu quero que as pessoas sejam: autenticas, verdadeiras, sinceras, respeitosas em relação à própria alma.