Reconexão e recomeços


Feliz Ano Novo! Feliz 2022 a todos!

Acho incrível que nestes periodos festivos, os quais fico em casa, são para mim o momento perfeito para autoanalise e reflexão sobre a minha vida.

Começou lá no Natal, sentindo a falta de meu pai, ele estava ausente fisicamente mas espiritualmente dentro de nossos corações.

Depois disso li um texto de uma psicóloga sobre como aceitamos e vemos nosso corpo tem uma ligação com nossa mãe. Fiquei em choque em pensar que foram 36 anos trabalhando a autoaceitação do corpo. Percebi que me sinto distante em alguns aspectos de minha mãe e ao mesmo tempo muito semelhante a ela. Então, encontrei uma foto de bebê e não tenho nenhuma no colo de minha mãe. Eu mesma olhei as fotos e falei para minha criança, sinto muito por tudo isso. Eu te vejo, eu te amo e te acolho. Imaginei abraçando aquele bebezinho que queria afago e carinho. Chorei tanto com a sensação de uma oportunidade de resgatar este amor e este vinculo. A criança muitas vezes se vê como a mãe. E a minha sempre trabalhou fora e tive muitas pessoas cuidando de mim quando bebê. Criei muitas referencias e nada que me conectasse a ela. Sou bem mais vaidosa que minha mãe e não sei quem da família puxei. Minha mãe e eu compartilhamos de alguns pensamentos semelhantes. Eu te perdoo mãe por todas as vezes que não tivesse o tempo necessário para me ver. Pelo seu cansaço, pelos momentos que não tivemos. Eu te deixo livre deste fardo.

Depois desta intensa liberação de emoções, comecei a ler um livro que ganhei de uma paciente há uns 3 anos sobre os degraus do Discipulado da Grande Fraternidade Branca. Minha tragetória espiritual começou na adolescencia, conheci a GFB através de uma conhecida aos 18 anos. Quando comecei a estudar sobre os ensinamentos dos mestres ascencionados fui a profundo. Em dado momento fazia rigorosamente, dia e noite, minhas meditações e decretos. Cheguei num ponto do caminho ao qual me perdi por completo. Aquilo era um teste e neste teste falhei miseravelmente pelo meu ego. Julguei-me importante e especial. Ainda não estava pronta. Anos se passaram e senti uma mágoa da espiritualidade. Caprichosa, julguei-me enganada e não merecedora e com medo disso tudo. Desfiz de alguns materiais que me foram importante naquele momento. Neste livro que estou a ler, traz a tragetória do discipulo e os cuidados do que pode acontecer. Agora pude compreender melhor que tudo que passei foi um teste se estava sendo movida por uma causa/desejo espiritual maior ou se estava encantada com a possibilidade de que teria o poder de mudar a minha vida e de qualquer pessoa em minhas mãos.

Na verdade nunca somos vítimas das circunstancias. Somos aprendizes e com tudo isso sinto que realmente precisava compreender coisas que não tinha noção nenhuma. Como se um cenrário macro se apresentasse e entendesse tudo que passei nestes ultimos 10 anos. Agora, estou a recomeçar, voltar aos estudos e as meditações e decretos.

Parece que tudo que senti nesta semana será um reflexo de coisas que irei resgatar neste ano de 2022. Meu aniversário se aproxima em fevereiro e esta coisa de “inferno astral” é uma oportunidade para que nós tenhamos momentos de reconhecimento e reflexão sobre nossas vidas e que rumo devemos tomar.

Fiel como um cão


Liz era uma garota que amava os animais desde muito pequena.
Sonhava desde jovem em ter um cãozinho mas seus pais não a deixavam tê-lo.
Agora já era adulta, morava sozinha e tinha sua vida feita. Para não se sentir tão sozinha e realizar seu sonho infantil, decidiu adotar um cãozinho.
Em uma feira de animais, encontrou um solitário filhote de pastor alemão. Ficou tão encantada com ele que não pensou duas vezes antes de levá-lo.
Tratou-o tão bem como seu melhor amigo, alimentava-o com a melhor comida, saiam para passear pelas ruas da cidade e em parques. Iam viajar juntos de carro por aí sempre que possível.
O amor entre os dois era muito grande e recíproco e crescia a cada dia assim como Carl, seu cachorro.
Alguns anos se passaram e Liz se sentia solitária, mesmo estando na companhia de Carl. Ele começou a perceber que sua dona se sentia triste, ficava quieta olhando pela janela. Seu coração amoroso e puro queria lhe trazer aconchego e alegria. Decidiu pegar uma bolinha e ir até seu encontro na tentativa de fazê-la rir como antes. Ela apenas olhou para ele, deu um leve sorriso, pegou a bolinha e jogou para que ele fosse apenas buscar. Carl ainda ficou parado olhando para sua dona, na esperança de que sua fisionomia mudasse. Liz olhou para ele e disse:
 “O que foi, Carl? Você não quer que eu vá pegar né, amiguinho?”
Ele apenas percebeu que aquela ideia não foi a das melhores. Sentou-se e deu um latido para sua dona.

Os dias se passaram a situação continuara mesma, Carl ficava ao lado de Liz preocupado com sua felicidade.
Certa noite, viu Liz orar pedindo que Deus tivesse misericórdia de si, que se sentia muito sozinha, que preenchesse seu coração de amor e que colocasse em seu caminho um companheiro para sua vida.
Seu cão ficou tão compadecido que abaixou sua cabeça entre as patas e pediu para que se existisse algo maior que o amor dele pela dona, pudesse fazer algo para ele para deixar sua dona mais feliz. Era o que ele mais queria, dar seu amor, carinho e companheirismo. Desejou então ser o que ela mais queria. E adormeceu. Carl costumava acordar durante a noite para expiar a dona dormindo. Ficava ali horas a zelar pelo seu sono. Um dia após sua vigília, dormiu profundamente.
Alguma coisa começou a acontecer com seu corpo, sentiu suas patas queimarem,  sua cabeça parecia que ia explodir e sua coluna esticar. Seu pequenino corpo começou a se transformar magicamente em um corpo humano, ele havia se transformado um homem. Ficou a se olhar e tentando entender o que estava havendo. Olhou para sua dona, dormindo sobre a cama, tranquila e se olhava. Um milhão de pensamentos surgiram em sua mente, começou a pensar em coisas que nunca pensou, sentir frio, e como se sua pele lhe mandasse um monte de informações ao mesmo tempo. Seu faro estava estanho e sua audição menor. Olhou para suas patas eram mãos. A única coisa que tinha certeza era seus sentimentos para com sua dona.
Com muito frio, decidiu subir na cama de sua dona como sempre fazia. Entrou debaixo dos cobertores e encostou seu corpo ao da dona, sentir o calor de sua pele e isso lhe trouxe uma grande sensação de prazer. Sua dona, ligeiramente correspondendo ao calor recebido por aquele corpo, o abraçou sem imaginar que era um homem que estava ali. Carl ficou assustado, seu coração subiu as alturas, um misto de sensações estranhas subia a sua mente. Eram coisas muito estranhas e instintivas. Ele sentia o cheiro dela e tinha prazer como se fosse algo como comida.
Dormiram assim durante a noite toda.

Logo de manhã, Carl acorda para fazer seu xixi matinal. Percebeu que seu corpo era de cão novamente. Como poderia ser isso possível? Olho-se, coçou-se e percebeu que o que sentia antes era tudo diferente. Olhou para sua dona Liz que ainda dormia.
Assim que Liz acordou, levantou-se sentindo um imenso bem estar. Estava muito leve e feliz. Ela olhou para Carl, que estava de pé ao seu lado ao olhar e sorrindo lhe deu um imenso bom dia.
“Olá, Carl. Bom dia. Tive um sonho estranhamente bom. Sonhei que um homem vinha até a minha cama e dormia ao meu lado. Senti o calor de sua pele e seu imenso amor. Isso não é estranho?”
Carl olha para e solta um latido feliz. Ele queria poder falar com sua dona e dizer que este homem era ele, estranho, mas era ele, de verdade.

Alguns dias se passaram e Carl não havia se transformado mais em um homem. Liz ficava lembrando do calor do corpo daquele jovem moço e sonhava com a possibilidade de que Deus queria mostra-lhe uma esperança.
Numa noite Liz orou para Deus, pedindo novamente para que Ele pudesse presenteá-la com mais um sonho gracioso como aquele e que em breve algo pessoalmente. Neste momento, Carl estava atento e começou a latir insistentemente enquanto sua dona rezava.
“Hey, Carl. Silencio! estou orando!!Ou você quer orar comigo?”
Carl olhou para ela como se estivesse entendendo realmente tudo o que ela disse. Liz olhou profundamente para Carl e sentiu algo estranho subir-lhe a espinha. Decidiu ignorar e voltou a orar em silencio com os olhos fechados.

Naquela noite, tudo iria mudar.
O relógio deu meia noite. Carl iniciou o processo de transformação novamente para o corpo de um homem. Viu-se pelo espelho do quarto e seu corpo era forte, seus pelos agora eram loiros e curtos quase imperceptíveis. Seus olhos eram de outra cor, seu focinho era diferente, orelha, cabeça, tudo.
Com medo e receio, aproximou-se da cama de Liz que dormia. Tocou-a com os dedos trêmulos e esperou com que ela acordasse. Um misto de sensações invadia seu corpo e sua cabeça. Pensou em latir para chamar a atenção de Liz, como fazia quando precisava sair, mas ao invés disso, saiu a pronuncia do nome de sua dona. E novamente chamou por ela, tocando-lhe o rosto suavemente. Liz revirou-se na cama a procura do abajur, mas abrindo os olhos lentamente, ela quase não pode acreditar. Seria possível ela estar sonhando?
Olhou para o moço sentado em sua cama, olhando com cara de desconfiado. Observou que o mesmo estava nu, fazendo seu rosto corar imediatamente. Aquilo só podia ser um sonho mesmo.
O moço então, foi se aninhando debaixo de seu cobertor, aproximando-se de Liz. Ela reconhecendo que era o mesmo moço do sonho que tivera, assim o permitiu entrar. Acomodou-se sobre seu peito e ficou em silencio se questionando como seria um sonho mas tão real, quente e terno.
Olhou para os olhos do moço ali deitado, fitou-o longamente e ele correspondendo com ternura e amor. Num impulso decidiu beijá-lo, aproximando-se devagar e pode sentir seu hálito até o momento de encostar seus lábios.
Carl achou o beijo estranho e, inevitavelmente seu corpo, sentiu uma necessidade em corresponder ao toque dos lábios de Liz sobre o seus. Fechou os olhos e acomodou-se abraçando Liz.
Beijaram-se perdidamente, seus corpos apenas correspondiam ao intenso desejo contido neles. Os beijos tornaram quentes e intensos, seus corações batiam em compasso a apressadamente. As respirações estavam ofegantes e suas bocas se perdiam alucinadamente.
Liz estava tão empolgada, rendida a ternura, a beleza a paixão que rondava o moço decidiu se entregar a esta loucura. Seus corpos se falavam por si. Subiu sobre o moço ainda lhe beijando, foi tirando aos poucos o pequeno pijama que vestia. Seus seios ficaram frente a face de Carl. Ele com extremo instinto toucou-lhe, causando arrepios em Liz.
Liz podia sentir o corpo de Carl totalmente teso sob seu corpo e esfregou-se sobre ele, beijando-lhe o pescoço, o peito e o abdômen.
Viu seu membro rijo e rosado, segurou-o nas mãos e delicadamente decidiu acaricia-lo. Deitou-se ao lado do corpo de Carl, beijando-lhe e admirando seu belo corpo.
Carl estava tão excitado que ficou sem reação, apenas observava os movimentos e gestos delicados de sua dona. Estava se deliciando com o carinho e o prazer que ela estava lhe proporcionando. Decide então ficar sobre Liz, a beija intensamente passando por seu pescoço, ombos e os seios. Lambe delicadamente seus mamilos e desce com sua boca pela barriga. Tira o short de Liz lentamente, observando delicadamente o corpo de sua amada.
Mergulha por entre suas pernas, passando as mãos, beijando-as aproximando-se do sexo de Liz. Ela suspira fortemente, soltando um gemido cálido.
Ela se levanta e faz com que Carl se deite. Num impulso frenético, senta sobre ele, sentindo-o totalmente dentro de suas entranhas.
E assim, Liz e Carl renderam-se ao prazer de seus corpos, os beijos percorriam seus corpos, suas mãos estavam perdidas e seus suspiros e gemidos eram intensos.
Uma noite de amor, ternura e prazer foram o combustível que lhes alimentaram as almas. Carl dedicou todo seu amor e carinho a Liz, afinal, havia sido seu companheiro de muitas noites. Liz sentia-se solitária por muito tempo mas estava feliz em ter sua fiel amigo ao lado mas que mal podia imaginar que o homem que se deitara era seu tão amado cão.
Seria apenas um sonho?

Escrito por Camilla M. (baseado num sonho que a mesma teve)

Pensamento linear e o não linear




Esta noite tive um sonho no qual tinha ido visitar o pessoal da antiga empresa onde trabalhei. O local estava todo diferente e as pessoas vinham até mim, cumprimentar, dar a mão e falar apenas “oi”.

De repente vejo o pessoal ao meu redor, aglomerado e eu estava explicando sobre a força do pensamento linear e não linear.
Lembro que dizia que quando mantemos os pensamentos numa linha reta, ou seja numa constância, de forma objetiva, conseguimos atingir as coisas com facilidade. Manter o pensamento linear não é o mesmo que uma teimosia ou obsessiva, mas sim ter fé e acreditar, visualizar seu futuro sendo realizado.
Quando o pensamento não é linear, este é disperso, desenfreado e sem propósito  o Universo não consegue entender e com a sincronicidade age sobre eles acabamos receptando coisas sem sentidos para nossa vida.
O Universo, Deus, Energia, Consciência Cósmica quer que você deseje intensamente. Nós somos criadores de nossa realidade, de nossas vidas, e aquilo que desejar de verdade, esta Grande Inteligência, agirá em sincronia com a Grande Rede Universal tudo aquilo que está emitindo será concretizado de alguma forma.
O Universo é uma forma inteligente pois o que você pensa, diz ou faz hoje, em 365 dias após, tudo aquilo será respondido.
Essa foi a explicação que dei em meu sonho. 

Camilla M.
(14/08/13)

Trecho bíblico sobre o pensamento. “Orai e vigiai”.



“A Divina Presença EU SOU que vos circunda como Luz e como uma Eterna Fonte de Energia, cria tudo o que quereis quando a Ela apelais. Refleti bem sobre as palavras de Jesus: “EU SOU a Luz do Mundo”, ou “EU SOU a Ressurreição e a Vida.” 

Livro Caminho de Luz, de Saint Germain

Abaixo a intolerancia religiosa!


Em todas as religiões e seitas a unica verdade é que Deus é soberano e supremo e está presente em todas as religiões. Precisamos então apenas respeitá-las e não sermos intolerantes.

“Toda pessoa tem o direito à liberdade de pensamento, consciência e religião (…)” Art XVIII da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
“A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos toda a família humana como uma só família (…)” (Gandhi, p.12).
“O Supremo Senhor do universo, que tem diferentes nomes em diferentes culturas, ama a todos. Dele emana toda a liberdade de pensamento, religião ou de consciência” (Igreja Metodista, p. 10).
“Se eles se inclinam à Paz, inclina-te tu também a ela e encomenda-te a Deus…” (Maomé, p.14)
“Toda crença é respeitável, quando sincera e conducente à prática do bem” (Allan Kardec, p. 15).
“A meta última da religião é o amor (…)” (Hinduísmo, p. 19)
“Prevenir a intolerância é assumir que nenhuma verdade é única. É reconhecer que o outro tem livre arbítrio (…). Esse reconhecimento pressupõe garantir-lhe o direito de pensar; de crer, de amar, de doar, de rezar, de ser gente religiosa. Gente que exercita a missão sagrada de reconhecer no outro a imagem e semelhança de Deus, Olorum, ou Javé” (Religiões afro-brasileiras, p. 35).
“Não terás nenhum pensamento de ódio contra teu irmão” (Moisés, p. 26)

Retirado de um grupo de discussões do Facebook.

Olhem verdadeiramente para dentro de si mesmos


Amados, 

Muitas são as dúvidas em seus corações, mas uma coisa vos digo, tenham a certeza da fé, do amor e do perdão. De nada adianta pedir a Deus não acreditando que as coisas de fato não realizarão, ou por não merecimento ou por que Deus não esteja te ouvindo agora. Parem de temer a força dos outros, as obras do mal que os outros podem fazer, NÃO DEEM PODER A ISSO!
Vocês são muito mais que podem ser, são muito mais poderosos do que podem ser. OLHEM VERDADEIRAMENTE PARA DENTO DE SI MESMOS, DEUS MORA AÍ DENTRO TAMBÉM.Não usufruam da oração para o mal, desejando o poder sobre outras pessoas, coisas e fatos, mas OREM PARA SEREM AJUDADOS, CONFORTADOS E AMPARADOS, pois a oração serve de COMUNICAÇÃO, ELEVAÇÃO E CONEXÃO COM A DIVINDADE. 
Todo ato de fé, pensamento, oração, a forma que estiverem fazendo em suas casas, seja acendendo velas, orando em voz alta, cantando, entoando mantras, ajoelhados ao lado da cama, não importa, O UNIVERSO ESTÁ OUVINDO SEUS DESEJOS. Quando orarem, saibam o que estejam pedindo, pois o UNIVERSO TRAZ A VCS O QUE REALMENTE DESEJARES.Muitos dos acontecimentos de suas vidas ocorrem devido a fatos Divinos, permissões, decisões para o bem de todos vocês. NADA ACONTECE PELA OBRA DO OUTRO. 
Repito: DO QUE VCS TEM MEDO? MEDO DE BRUXARIAS, MACUMBAS? 
O MEDO NADA MAIS É A FORÇA DADA A ESTAS ENERGIAS NEGATIVAS QUE SÃO PERMITIDAS POR VCS PRÓPRIOS EM ADENTRAR EM SUAS VIDAS. DEVERIAM SE PREOCUPAR EM VOLTAREM-SE PARA SUAS DIVINDADES, VOLTAR A CONECTIVIDADE COM SEU DEUS E NÃO POR FORÇA A COISAS QUE SÃO MENOS QUE A VONTADE DE NOSSO PAI-MÃE CELESTIAIS. Não tenhais medo, DEEM FORÇA AO AMOR, A UNIÃO, A FÉ, A ESPERANÇA E A CARIDADE pois é isso que importa nestes tempos.Amados, CONFIEM PLENAMENTE NA SUA DIVINDADE, EM SEU DEUS. ACREDITEM QUE ELA PODE OPERAR VERDADEIROS MILAGRES EM SUAS VIDAS BASTAM EXERCITÁ-LAS COM O AMOR E FÉ.E é essa a mensagem que vos deixo.Lembre-se de que vcs são plenamente amados por todos os Seres de Luz, seus guias, protetores, anjos e arcanjos. VOCÊS SÃO AMADOS PLENAMENTE e experimente AMAR DA MESMA FORMA.

Sentido e intuído por Camilla M. em 15/02/2010 às 10:34h.

Do que vocês tem medo?


Queridos,
De que vcs tem medo?

Medo que uma macumba, pessoas, fatos, sentimentos sejam mais fortes que seu Deus interior?Não existe força maior que o amor e a confiança nele!!!A macumba só pega para quem está em sintonia com as energias que ela age.Eu não desfaço amarrações, apenas dedico meu tempo para tirar dúvidas e ajudar no necessário para com as pessoas.“Macumba” nenhuma pegaria e nem pegará se estivermos unos com nossa verdadeira essência, com nosso verdadeiro amor, em sintonia com o bem e com o Amor de nosso Deus Pai-Mãe.Não sou nenhuma mãe ou pai de Santo, só não me conformo como as pessoas se deixam influenciar as energias do mal, negativas e dão de seus poderes aos outros, as religiões e nas falsas crenças.Por favor, olhem-se para dentro de si e vejam que vcs são 100% responsáveis pelas suas vidas, assumam que o que vcs vivem hoje é um retrato das atitudes que tiveram. Assumam quem são realmente e não tenham medo!!!Vcs devem aprender a se olharem, a refletirem, aprender a tocar a essência e viver em união com elas.Ninguém é guru, vidente, a toa… apenas somos ferramentas de Deus e todos, sem exceção  tem capacidade de serem mestres uns dos outros.Já tentou imaginar que toda vez que algo dá errado em minha vida vou ficar pensando que alguém fez macumba ou teve olho gordo? Parem com isso!! Não deem forças a coisas e pessoas que estão fora de vocês!!!(…)Não dê de seu poder interior as influencias negativas, eleve-se, pense em sentimentos nobres como o amor, a alegria e o perdão.Recomponha-se, confie em Deus, em vc e no amor e tudo que está abaixo disso não lhe influenciará.

Fique bem na luz e no amor de nosso Deus Pai-Mãe.
Sentido e intuído por Camilla M. em 29/03/2009 às 11:44h em resposta a uma pergunta de um leitor.