Simbologia das Corujas


Se alguém souber a origem da foto me avise que coloco os céditos.

A tradição dos índios norte-americanos diz que a coruja mora no Leste, lugar de iluminação. Posto que a humanidade teme a escuridão, a coruja enxerga no breu da noite. Onde os humanos se iludem ela percebe com clareza, acreditavam os índios.

A coruja é um dos animais preferidos dos bruxos e bruxas. É simbolicamente associada também com a clarividência, a projeção astral e a magia. Enquanto todos dormem, ela fica acordada, com os olhos arregalados, vigilante e atenta aos barulhos da noite. Por isso, representa para muitas culturas uma poderosa e profunda conhecedora do oculto.

Fonte: http://www.marcelodalla.com/2012/12/o-simbolismo-da-coruja-texto-e.html

VAMPIRIZAÇÃO ENERGÉTICA DURANTE O SONO


Achei numa página do facebook e decidi compartilhar sobre o assunto e que muitas vezes não chega a nosso conhecimento.

Namastê.

**************************************************************************************************

Veja os sintomas, e como se Libertar;

Trago este assunto bastante bizarro e inédito à luz do mundo moderno por ele estar muito atuante, atingir várias pessoas de forma disfarçada e tender a se agravar nos dias atuais.Comentei vária vezes, em inúmeras palestras, que eu e outros terapeutas de Frequências de Luz já atendemos inúmeros clientes que apresentavam esse problema.

A vampirização energética durante o sono afeta pessoas de ambos os sexos. É mais freqüente em mulheres jovens, até a faixa dos 40 anos, e em homens homossexuais. É raro acontecer em homens heterossexuais.

Embora esteja atingindo milhões de pessoas neste planeta, e pelas suas origens serem pouco conhecidas no mundo Ocidental, por questões de falta de conhecimento dos seus mecanismos, procurarei ser didático, mostrando os componentes envolvidos. Caso você já tenha conhecimento, pode saltar os dois seguintes tópicos conceituais sobre os corpos sutis e estados de consciência e ir direto para os sintomas.
OS CORPOS SUTIS

Para compreender este assunto, é necessário entender o funcionamento energético de nosso corpo holístico, que consiste no corpo físico, com o qual estamos tão identificados, e é o único em estudo pela medicina materialista do mundo Ocidental. Na realidade além deste, temos os chamados corpos sutis, conhecido também por aura, perispírito ou campo de energia humana.

Neste campo energético, quântico, há várias camadas magnéticas, vibracionais, chamadas de corpo etérico, emocional e mental.

O corpo etérico envolve e controla as células do corpo material e manifesta as sensações, as dores, etc. No corpo emocional ou astral, encontram-se gravadas as nossas emoções e sentimentos e é também chamado de corpo dos desejos. No corpo mental, encontra-se registrado todo o nosso conhecimento acumulado ao longo das inúmeras encarnações.

Estes corpos sutis são interligados entre si e o corpo físico através dos chacras, que são vórtices de captação de energia vital, os quais irrigam todos os órgãos físicos do ser humano através das glândulas endócrinas.
OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA – VIGÍLIA E SONO

A grande maioria da humanidade vive presa em apenas dois estados de consciência: o da vigília e o do sono.

1 – Durante o estado de vigília, quando estamos “acordados”, estes corpos (etérico, emocional e mental) estão em volta do corpo físico e conectados magneticamente de uma forma bastante complexa. Nós o percebemos através dos nossos cinco sentidos físicos. Eles são controlados pelo hemisfério cerebral esquerdo, o racional. É que chamamos de terceira dimensão.

2 – Quando a pessoa dorme, estes campos sutis se deslocam para o chamado plano astral ou quarta dimensão, que se encontra na Estratosfera do nosso planeta, num processo chamado de desdobramento astral. Esta transição é efetuada pela glândula pineal, localizada no centro do crânio, a qual gera um hormônio chamado melatonina, fazendo uma mudança de predominância do hemisfério cerebral esquerdo para o direito, intuitivo, holístico, criativo e arquetípico. Nesta condição de desdobramento, a pessoa está vivendo no plano astral, em um Universo vibracional paralelo ao mundo físico, onde existem contatos com todas as pessoas que estiverem dormindo e também com as pessoas desencarnadas que estiverem vibrando na mesma faixa de sintonia. É importante salientar que a pessoa quando dorme vai para a faixa vibracional no plano astral de acordo com o seu estado emocional e mental. Como exemplo, tal qual no plano físico, em uma visita a uma nova localidade, a pessoa, dependendo do seu nível de consciência pode ir a um prostíbulo, com drogados ou a um local espiritualizado, como um templo religioso ou um lugar sagrado. Por essa razão existem sonhos de experiências divinas e pesadelos horrorosos, dependendo da “faixa vibratória” que a pessoa está acessando no plano astral. O destino no plano astral é praticamente automático em função do nível vibracional e do estado dos chacras, principalmente os emocionais (os sete principais no centro do corpo, ligados ás várias glândulas endócrinas).

Este tema é conhecido por todos os povos do Oriente, inclusive os nativos (“índios”), e desconhecido no mundo Ocidental cristão por responsabilidade da Igreja Católica Romana, que fez o extermínio das curandeiras na Europa durante a Inquisição, chamando-as de bruxas e queimando-as em fogueiras. Com o conseqüente extermínio físico e cultural de quase todos os povos nativos da América, também foi perdido este conhecimento ancestral sobre o ser humano holístico e o plano astral.
O PROCESSO DE VAMPIRIZAÇÃO

Este problema existe mais no Ocidente do mundo atual, pelas seguintes razões:

1-Existe toda uma cultura induzindo a vulgaridade sexual, com propagandas eróticas, novelas, sites pornográficos, festas, e na mídia em geral, na busca pelo prazer físico como meta de vida e na banalização do sexo como apenas uma ferramenta a mais de obtenção de prazer físico, além do excessivo consumo de bebidas alcoólicas, drogas, etc.

2-O despertar da sexualidade natural nos jovens, de uma energia tão poderosa e sagrada, chamada de Kundalini.

3-Desconhecimento dos meandros do plano astral, causado pela existência de uma ignorância generalizada, devido às questões de crenças religiosas geradas pela Igreja Católica, que afastou de parcelas significativas da população o conhecimento da natureza humana, a saber, dos chacras, da aura, do plano astral, da reencarnação e de tantos outros componentes da natureza que não têm nada a ver com religião.

Este processo se inicia na maioria das vezes durante a juventude, com os primeiros sonhos eróticos, que são normalmente prazerosos e, aparentemente, sem os inconvenientes da relação sexual no plano físico, pois não apresentam riscos de gravidez, doenças transmissíveis, sentimentos de culpa, etc. A lembrança destes sonhos ocorre umas poucas vezes e depois desaparece. A partir daí, é criado um hábito, um vício, e a pessoa passa praticamente todas as noites a ter relações sexuais com seres desencarnados, verdadeiros vampiros sexuais. Isso ocorre também em motéis, onde os espíritos desencarnados já esperam pelos freqüentadores.

Esse roubo de energia vital é feito através dos chacras sexuais na área pélvica e nos mamilos, que também possuem chacras sexuais, tanto de mulheres como de homens. O que acaba gerando um bloqueio nesses chacras, gerando com o tempo desequilíbrios nos corpos sutis e conseqüentemente doenças físicas. Muitos dos casos de cânceres de mama, de útero, endometrioses, miomas, dificuldades para engravidar, menstruação desequilibradas têm origem neste roubo energético.
OS SINTOMAS DA VAMPIRIZAÇÃO

Os principais sintomas apresentados pelas pessoas que estão sofrendo esse processo de obsessão de forma isolada ou em conjunto são:

1 – Olheiras profundas.

2 – Cansaço ao acordar. Mesmo se dormir mais que o normal a pessoa acorda exausta, cansada. O sono tem o propósito principal de recarregar o nosso corpo etérico, que contém a nossa bateria de energia vital, quântica, na dimensão astral e fora do corpo físico.

3 – Sonhos recorrentes, repetitivos. Os sonhos são simbólicos, arquetípicos e não são lembrados ou vêm à nossa consciência desperta da mesma forma que foi vivenciado no plano astral, mas em forma simbólica.

Os principais tipos de sonho que demonstram as vampirizações são:

(a) sonhos com a “sensação de estar caindo”, e a pessoa acorda assustada.

(b) pesadelos com coisas nojentas como: rato, barata e principalmente cobra, que é o símbolo do falo masculino.

(c) sonho com a sensação de estar presa, tentando fugir ou de gritar por socorro, sem conseguir.

(d) sonho com a impressão de estar sem roupa ou em roupas de dormir na frente de outras pessoas.

(e) sonho com ambientes escuros, feios.

(f) sonho com seres escuros, muitas vezes figuras horríveis.

(g) sonho com água suja ou coisas enlameadas.

4- Em mulheres jovens é comum a perda de libido (na terceira dimensão) com o seu parceiro sexual, em função da perda de energia sexual que ocorre durante o sono, e menstruações com ciclo desequilibrado e muitas dores e sangramento exagerados.

6- Insônia profunda. A pessoa só consegue dormir depois das três horas da manhã, quando as energias divinas do sol começam a surgir e afastam os seres das trevas. Essa insônia é geralmente uma forma de proteção espiritual dirigida pelo Eu Superior da pessoa afetada.

7- Medo de dormir e de escuro.
COMO SE LIBERTAR DESTE PROBLEMA

1 – A principal forma de se curar desta doença é através da harmonização dos chacras e do alinhamento dos corpos energéticos.

2- Parar com o consumo de carne de animal mamífero, pois a adrenalina gerada pelo estresse pré-morte do animal bloqueia vários chacras vitais do ser humano, principalmente a glândula pineal.

3- Parar com o consumo de Coca Cola, pois é o único refrigerante que afeta os chacras. Considero este refrigerante uma magia negra engarrafada.

4- Consolidar uma conexão com o Eu Superior, através do chacra da coroa, que nos liga às dimensões espirituais superiores.

Fonte:piramidal.net
Por: Lucas Santos Paiva
somosartes.net/2013/01/vampirizacao-energetica-durante-o-sono.html

Reflexão: O que você decide?


Conta-se que um dia um samurai, grande e forte, conhecido pela sua índole violenta, foi procurar um sábio monge em busca de respostas para suas dúvidas.

– Monge, disse o samurai com desejo sincero de aprender, ensina-me sobre o céu e o inferno.

O monge, de pequena estatura e muito franzino, olhou para o bravo guerreiro e, simulando desprezo, lhe disse:

– Eu não poderia ensinar-lhe coisa alguma, você está imundo. Seu mau cheiro é insuportável.

– Ademais, a lâmina da sua espada está enferrujada. Você é uma vergonha para a sua classe.

O samurai ficou enfurecido. O sangue lhe subiu ao rosto e ele não conseguiu dizer nenhuma palavra, tamanha era sua raiva.

Empunhou a espada, ergueu-a sobre a cabeça e se preparou para decapitar o monge.

– Aí começa o inferno… disse-lhe o sábio mansamente.

O samurai ficou imóvel. A sabedoria daquele pequeno homem o impressionara.

Afinal, arriscou a própria vida para lhe ensinar sobre o inferno.

O bravo guerreiro abaixou lentamente a espada e agradeceu ao monge pelo valioso ensinamento.

O velho sábio continuou em silêncio.

Passado algum tempo o samurai, já com a intimidade pacificada, pediu humildemente ao monge que lhe perdoasse o gesto infeliz.

Percebendo que seu pedido era sincero, o monge lhe falou:

– Aí começa o céu…

Para nós, resta a importante lição sobre o céu e o inferno que podemos construir na própria intimidade.

Tanto o céu quanto o inferno, são estados de alma que nós próprios elegemos no nosso dia-a-dia.

A cada instante somos convidados a tomar decisões que definirão o início do céu ou o começo do inferno.

É como se todos fôssemos portadores de uma caixa invisível, onde houvesse ferramentas e materiais de primeiros socorros.

Diante de uma situação inesperada, podemos abri-la e lançar mão de qualquer objeto do seu interior.

Assim, quando alguém nos ofende, podemos erguer o martelo da ira ou usar o bálsamo da tolerância.

Visitados pela calúnia, podemos usar o machado do revide ou a gaze da autoconfiança.

Quando a injúria bater em nossa porta, podemos usar o aguilhão da vingança ou o óleo do perdão.

Diante da enfermidade inesperada, podemos lançar mão do ácido dissolvente da revolta ou empunhar o escudo da confiança.

Ante a partida de um ente querido, nos braços da morte inevitável, podemos optar pelo punhal do desespero ou pela chave da resignação.

Enfim, surpreendidos pelas mais diversas e infelizes situações, poderemos sempre optar por abrir abismos de incompreensão ou estender a ponte do diálogo que nos possibilite uma solução feliz.

A decisão depende sempre de nós mesmos.

Somente da nossa vontade dependerá o nosso estado íntimo.

Portanto, criar céus ou infernos portas à dentro da nossa alma, é algo que ninguém poderá fazer por nós.

Pense nisso!

Sua vontade é soberana.

Sua intimidade é um santuário do qual só você possui a chave.

Preservá-la das investidas das sombras e abri-la para que o sol possa iluminá-la só depende de você.

(Desconheço o autor)

Poesia de CORA CORALINA (1889-1985)


Eu Creio

 

Creio nos valores humanos e sou a mulher terra.

 

Creio em Garça e na sua gente.

Creio na força do trabalho como elo e trança do pregresso.

 

Acredito numa energia imanente

que virá um dia ligar a família humana numa corrente de fraternidade universal.

 

Creio na salvação dos abandonados

e na regeneração dos encaecerados,

pela exaltação e dignidade do trabalho.

 

Exalto o passado, o presente e o futuro de Garça

no valor de sua gente,

no seu poder de construção.

 

Acredito nos jovens à procura de caminhos novos

abrindo espaços largos na vida.

 

Creio na superação das incertezas

deste fim de século.

 

CORA CORALINA (1889-1985)

Direção do sol – Por Paulo Roberto Gaefke


Direção do sol

Paulo Roberto Gaefke

 

 

Tome a tua vida em tuas mãos,

e não entregue a direção dela a ninguém.

Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem,

só você é capaz de sentir o que realmente sente,

e aquilo que você passa de impressão para os outros,

nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.

Quantas vezes você já sorriu

para disfarçar uma lágrima teimosa?

Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto?

Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar

e ficou por educação, respeito ou medo?

Quantas vezes desejou apenas um beijo,

e ficou com a boca seca esperando o que não veio?

Quantas vezes tudo o que você desejou

era apenas um abraço.

Um consolo, uma palavra amiga

e só recebeu ingratidão?

Quantos passos foram necessários

para chegar até onde você chegou?

Quantos sabem dar o valor que você realmente merece?

Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer,

vestir as suas dores ninguém quer,

saber dos seus problemas,

só se for por curiosidade,

por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém,

nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa,

você não vai viver…

Vai viver sim, o mundo continua girando,

e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor.

Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul,

lá onde a placa diz “caminho do sol”,

bem na curva da felicidade, que te espera

sem pressa, para viver com amor e intensidade,

a paz, a harmonia e a felicidade.

BlogBlogs.Com.Br

Carma / Ascensão


 

Partindo da idéia inicial de que o carma é criado em algum ponto do continuum da nossa existência, por uma perda energética causada por um trauma ou, mais especificamente, por um acontecimento que tenha gerado sentimentos de baixa freqüência, é natural que ao transmutarmos esse tipo de vibração, eliminemos a sua conseqüência.

 

Para exemplificar, tomemos uma pessoa que em algum ponto do espaço e do tempo, passou pela experiência da perda de todos os seus bens materiais. Essa pessoa pode encarar o fato de duas maneiras diferentes e conseqüentemente, pode optar por dois futuros diferentes.

 

Normalmente, de acordo com a ética vigente até então, a perda é encarada de uma maneira muito negativa e causa muito desgosto e medo, fazendo com que grande quantidade de energia se desprenda do corpo energético e fique paralisada naquele acontecimento. Nesse caso, a pessoa em questão, pode se sentir extremamente injustiçada e vitimizada, ficando incapaz de ter um afastamento crítico e de mudar seu julgamento sobre a situação. É então que se cria o carma negativo, que nada mais é, do que a necessidade de restaurar a integridade do corpo energético, formado com a energia de mais alta vibração, que é o amor. Essa necessidade se cria a partir do momento em que acontece a perda de energia devida ao trauma. Forma-se então um “buraco” no nosso corpo emocional que é onde ficam gravadas todas as nossas experiências e esse vazio vibra com freqüência muito mais baixa do que a da nossa energia original. O protagonista do nosso exemplo vai ficar atraindo situações parecidas até que seu ponto de vista mude e ele passe a encarar o fato vivido, apenas como mais uma experiência da qual se pode aproveitar sempre alguma lição.

 

Quando há a mudança de enfoque sobre acontecimentos vistos como “negativos”, a energia que possa ter se perdido, volta a seu lugar de origem e o carma desaparece, pois o caminho da unidade é retomado e a vibração do amor é restaurada, voltamos para a nossa integridade primitiva.

 

Os espíritos puros ou virgens que passaram e ainda passam pela Terra, são todos isentos de carma porque estão livres da dualidade do bem e do mal, possuem uma visão superior da vida e não tecem julgamentos, aceitam todos os acontecimentos igualmente, aproveitando toda oportunidade como degrau para o auto-desenvolvimento. São chamados virgens por estarem na Unidade de sua energia, vibram na freqüência mais alta e não abandonaram “pedaços” ao longo das encarnações. Têm consciência plena de suas múltiplas dimensões e da sua ligação íntima com o Divino. Suas mensagens e testemunho são sempre de amor, tolerância e compaixão, sentimentos que nos reconectam com a Totalidade.

 

Quando o Planeta se prepara para realizar mais um salto quântico, é essencial que a Humanidade se conscientize da necessidade de uma mudança de ponto de vista. O aumento da vibração da Terra tem que ser acompanhado por nós humanos, ou seja, o Ser que não se sintonizar com as novas freqüências, fatalmente estará impedido de “ascender”. É imprescindível que reintegremos toda a energia que deixamos para trás, em outras vidas e mesmo nessa, para que nossos corpos sutis e mesmo nosso corpo físico, agüentem a mudança vibracional. Não podemos seguir em frente, com nosso corpo emocional incompleto energeticamente.

Usando uma analogia física: quando um elétron muda de órbita, ele absorve um quantum de luz equivalente à diferença energética entre as duas órbitas, a antiga e a nova. Conosco, ocorrerá a mesma coisa! Se não estivermos com a soma de toda a energia que trouxemos inicialmente para a nossa vida tridimensional, mesmo com a absorção do quantum adicional, não conseguiremos atingir a quantidade de “luz” necessária para a ascensão. 

 

Nesta nova etapa, não haverá mais carma. Os aprendizados poderão ocorrer sem sofrimento, a vida na Terra será encarada como um período de experiência voluntária, como, na verdade, sempre foi. Esses conceitos deixarão de ser simples conhecimento, passarão a ser incorporados e sentidos como verdade absoluta.

 

Estaremos vivendo como humanos sem esquecer de nossa origem divina e de nossas várias dimensões espalhadas pelo Universo. Poderemos finalmente, nos ver livres de todo medo para usufruir de toda a alegria e prazer que esse maravilhoso Planeta tem para nos oferecer e que fazem parte da nossa natureza Divina.

 

 

Márcia Caminada

Física e pesquisadora, especialista em Metodologia da Pesquisa e do Ensino Superior, sócia-diretora da Empresa IMD Consultoria,  onde realiza pesquisas e estudos nas áreas de agricultura,  fontes alternativas de energia e indústria química.