Luto e saudade


Estava aqui a procurar sobre luto, cuidados paliativos e o uso da aromaterapia e, através da leitura e os conhecimentos prévios tem me trazido recordações do hospital nos ultimos momentos de vida com meu pai. E muitas vezes eu pensei em usar aromaterapia ali e não usei por medo e desconhecimento de como agir. Ficava mais preocupada em como ele poderia sair dali e a ansiedade de como seria depois daquilo. Não sabia como agir e vivia já um luto antecipado.

Hoje ao deparar-me com um video nas redes sociais de um pai e uma menina brincando alegremente na chuva, lembrei-me do meu pai e a saudade cresceu e rolou lágrimas.

Tento não me lembrar da parte triste do hospital e manter os momentos bons com ele. E muitas vezes não choro pois o conforto da minha consciencia é de que ele vive no plano espiritual e está bem. Aqui para nós fica a sensação de distancia mas conforto com a possibilidade de existir em outro plano como sabemos que muitos também vivem por lá.

Eu aceito esta partida dele, era o momento, não há justificativas. Ele cumpriu sua missão como homem filho, marido e pai. Tenho muito orgulho de ter sido sua filha e eu agradeço imensamente por tudo que me deu nesta vida para ser quem eu sou!

Te amo infinito. <3

Você percebe os sinais?


Você já deve ter ouvido falar dos sinais que recebemos do universo.

Tem gente que vê sincronia em tudo, em numeros iguais, simbolos, animais, palavras, imagens… que estão correlacionados com algo ou aquilo que condiz ao seu momento.

Na origem da matemática tudo era simplesmente puro e filosófico e muito se dizia que a natureza se comunica através de simbolos e formas geométricas. Acredito que só perdemos o caminho de volta desta sabedoria filosófica e ancestral.

Esta semana tive três momentos que foram simbólicos e senti que foi uma comunicação do universo para mim.

A primeira, na terca-feira, foi um presente de aniversário. Sonhei com meu pai dando-me parabéns.

Na quarta-feira estava a olhar pela janela de minha sala do trabalho e, do nada, surge uma mariposa toda azul cintilante e de cabeça vermelha. Chamou-me a atenção pois ela veio exatamente na minha direção.

Apistosia judas

Seu nome é mariposa Judas por que as lagartinhas dela são bem venenosas mas quando transformam são lindas. Dei um “Gloogle” para saber sobre este ser encantado e encontro esta informação:

“As características mais exclusivas da espécie mariposa judas está no fato delas terem uma “audição” melhor do que espécies de outras famílias, pois as mesmas possuem os chamados órgãos timpanais, localizados em seus abdômen, o que faz com que elas consigam sentir vibrações exclusivas e assim detectar presas e predadores com uma facilidade maior.”

Interessante que neste momento estava ouvindo som de harpas e fiquei observando sua dança, voando na minha frente que levou-me a um estado de transe.

Hoje estava novamente em minha sala de trabalho, dentre estes 3 anos atendendo ali, nunca vi nenhum pardal parar na minha janela. Hoje, no silencio e sentada em minha poltrona, ouvi um barulho na janela, eis que estava ali a me observar atentamente, o pardal. Ainda sorri para ele e disse “oi, pardalzinho” e logo em seguida voou.

Neste momento eu senti que aquilo era uma conversa simbolica do Divino comigo. Ele está a todo instante se comunicando conosco. Só precisamos estarmos abertos a isso.

Segundo as simbologias de totem de poder dos animais, o pardal simboliza proteção, simplicidade e trabalho em equipe. Sendo assim eu creio na proteção e simplicidade Divina.

Quando sinto estas sincronicidades meu coração se enche de alegria, como se fossem os sinais de que estamos no caminho correto.

Sou grata a Divindade pelos presentes desta semana.

Déja-vù? Ou saí do corpo?


Você provavelmente já deve ter sonhado alguma vez com certo evento e numa outra oportunidade você continua a sonhar o conteúdo do sonho anterior.

No meu caso foi um pouco diferente. Duas madrugadas atrás, sonhei que estava a me trocar no quarto quando fui avisada que tinha visitas em minha casa. Demorei a escolher a roupa e fui dar uma espiada pela porta para ver quem elas eram. Naquele momento vi três pessoas, um moço branco, um moreno e uma mocinha que devia ter uns 18 anos. Imediatamente eu os reconheci como meus amigos e tratei de colocar uma roupa rapidinho.

Quando fui a cozinha, estavam a mesa, comendo e o moço moreno seguiu em minha direção dando-me um abraço apertado dizendo que estava com saudades e que passava aqui por perto de casa e decidiu me ver para aproveitar e fazer um convite a uma festa.

Eu agradeci e disse que estava a esperar o meu noivo que somente iria com ele. O mais interessante que acordei “recordando-me” de onde os conheci. Não sei se foi sonho mesmo, só sei que eu os já conhecia de outros momentos.

Lembrei-me de “como os conheci”.

A lembrança é do rapaz moreno, muito educado se aproximou como se já tivesse ouvido falar de mim. Se apresentou, dizendo seu nome (tenho #odio por não lembrar nomes), disse que já tinha ouvido falar muito bem de mim e que gostaria muito de me conhecer pessoalmente. Fiquei feliz e me senti “importante”. Em seguida o moço branco se aproximou e disse que era um prazer em conhecer-me super simpatico e ficamos ali, os três “conversando” como se já fossemos intimos. Em seguida, já estavámos numa festa e uma moça se aproximou, abraçou o rapaz branco e ele apresentou-a como sua namorada. Era a moça com aparencia de 18 anos. Então da festa que me lembre, fomos para um lugar todo verde, como uma mata e aí fomos passeando por vários lugares.

O mais estranho é me lembrar disso com detalhes e ainda mais depois que sonhei com eles há duas madrugas aqui na minha casa.

A sensação é estranha. Como se já tivesse vivido isso com eles e ao mesmo tempo não sei se é minha imaginação ou se realmente sai do corpo através de um projeção e fiz amigos “astrais”.

A mente humana realmente é um misterio. Quem sabe um dia sonhe com eles e consiga perguntar em qual plano nos conhecemos.

Relicário olfativo – lembranças dos cheiros


Hoje decidi caminhar pela manhã, saí disposta a sentir meus pés tocando o chão e observar esta manhã fria e nebulosa de outono.

Então lembrei-me das muitas caminhadas que fazia com meu pai na infancia aos domingos de manhã. Nunca pensei o quanto era próxima as sensações, cores e cheiros.

Fiz um caminho que sempre percorri durante toda minha infancia e adolescencia, passando pelas poucas casas que ainda não viraram comércio, observei as mesmas flores plantadas no jardim, os cheiros que vinham das casas e das pequenas mudanças nas cores e nos portões.

Gostoso foi passar por uma casa que tinha cheiro de frango assado, tipico de domingo. Depois uma outra com cheiro de roupa lavada secando no varal.

Passei por outra casa que tinha cheiro de xixi de gato, lembrei da casa da minha avó que, quando chegava, exalava levemente um cheiro de xixi de seus gatos. Ainda em outra casa, pude passar por outra casa lembrando daqueles famosos cheiros de perfume de avós, cheiro de leite de rosas ou coisa parecida.

Tinha aquelas casas que as rosas ainda permanecem no jardim, ora muito floridas e ora sem nada. Os camarões floridos, os vasos de samambaia e chifres de veado na garagem. Algumas ainda tinham aqueles carrões antigos clássicos na garagem que só saem a passeio de tão conservados.

Vieram tantas lembranças e sorrisos secretos nos cantos dos labios por debaixo da máscaras. Amei ser e ter todas estas reliquias dentro de mim.

Minha primeira experiência com entrevista de emprego…


Pessoas,

Encontrei este texto que escrevi quando fiz minha primeira entrevista de emprego. Estava tão eufórica e feliz que precisava desabafar esta satisfação.

Achei bem legal pois lembro-me de ter guardado este texto, porém não lembrava onde. E só agora encontrei-o novamente.

Escrevi quando tinha meu antigo blog (The Chemical Girl´s Blog) e na época estava namorando. Por motivos maiores tive de fechar este blog.

É engraçada a vida, e mostra como amadurecemos diante dela.

Segue o texto na íntegra.

***************************************************************************

Venho relatar uma experiência nova que passei e que foi muito satisfatória para mim como crescimento pessoal.
Hoje fui fazer minha primeira entrevista de emprego. Será o meu primeiro trabalho se for classificada.
Vou deixar claro meus sentimentos e meus pensamentos que tive e estou passando, pois penso que é um tanto interessante que vocês leiam e reflitam. Creio que a maioria das pessoas que lêem este blog tem idades entre 15 a 20 anos. Let’s go!
Quando comecei a fazer o curso técnico em química não esperava que fosse agradar tanto, pois achava que química era difícil e chata. Antes de prestar neste curso tentei administração três vezes e não consegui passar. Notei também que não era aquilo que gostaria de fazer já que sempre pensei em fazer algo legal que agradasse pois a alma de um profissional de sucesso está naquilo que ele escolheu e faz com amor o seu trabalho.
Durante o curso tive muitas experiências diferentes, recebi muitas críticas, recebi apertões, tive que aprender a se expressar em público e tive que lidar com pessoas mais novas do que eu (não querendo me parecer velha, hein!!!).

Digo talvez que elas eram um pouco difíceis pois esta nova geração é mais exigente e observadora. Chegaram a pensar que queria me aparecer por ser mais participativa e expressar mais minhas opiniões do que eles.

Lembro de uma gincana em que a professora pediu para nós passarmos bilhetinhos uns aos outros falando sobre o que um achava do outro, e foi nessa brincadeira que descobri tudo isso. Foram críticas confesso, até dolorosas, pois não tinha sentido e não queria passar esta impressão para ninguém, não era essa a minha intenção, mas também não tenho nenhum ressentimento contra tudo isso. Este fato somente colaborou para meu crescimento pessoal, fazer que parasse para pensar e refletir nas atitudes que tomava.
Sinto que amadureci ainda mais, vejo que estou crescendo, saindo daquele mundo de idéias juvenis – adolescentes para o mundo adulto. Não por querer ser gente grande, pois serei sempre uma eterna menina, pois ainda gosto de desenhos animados, brinquedos e ursinhos de pelúcia, e sim pela maturidade, pelas transformações, as responsabilidades que começamos a ter depois dos vinte anos.
Sinto, ás vezes, um pouco estranha, um pouco também de medo do amanhã, mas que ser humano nunca sentiu medo do seu futuro e de seu passado? É natural sentirmos medo do novo, mas não temos outra alternativa além de enfrentá-los.
Foram tantas coisas, tantas fantasias que tinha sobre o mundo dos empregos, de ser sustentável, tantas bobagens. Cheguei um dia pensar que poderia ser sustentada pela minha mãe por um bom tempo. Fantasiamos tanta coisa antes delas acontecerem, até coisas absurdas porém engraçadas.
Quando recebi o telefonema de que teria uma entrevista dei pulos de alegria. Cheguei até a gritar pois fiquei muito eufórica. Mas de repente o medo bateu, e agora o que eu vou falar numa entrevista? E tantas outras perguntas rondaram minha cabeça. Senti calafrios!!
Procurei ajuda com meus irmãos e meu namorado. Li alguns textos interessantes na internet. Fui dormir com mil e uma coisas na cabeça, mas um pouco mais calma e contente por estar fazendo isso. Agradeci a Deus (e muito!) pela oportunidade.
Acordei cedo, troquei de roupa (social de preferência), tomei café e fui. Chegando lá, fui bem recepcionada, acabei fazendo a entrevista e agora o que tenho a concluir é que foi um procedimento tudo muito normal. Fiquei um pouco ansiosa e nervosa, pois tive que esperar por alguns minutinhos (odeio esperar) e falei com várias pessoas. Uma dificuldade em entrevista é quando pedem que falem um pouco de você, o que geralmente não é muito fácil. Fui educada e clara, fiz tudo certinho a prova teórica e agora espero o resultado.
O que tenho a dizer de tudo isso é que não devemos sofrer por antecipação, nem fantasiar as coisas para depois não se decepcionar e enfrentar os desafios que são impostos, mas com cautela, paciência e sabedoria, pois no final tudo dá certo!
Espero que vocês reflitam com este texto que escrevi, pois quis descrever meus sentimentos e meus pensamentos em mais um desafio que passei nestes 20 anos de vida e que isso é tudo muito novo para mim e espero que sirva de experiência para vocês também.
Fiquem bem e um ótimo final de semana para todos!!

(26/07/2005)

A história de um CDF


Um dia, quando eu era calouro na escola, vi um garoto de minha sala caminhando para casa depois da aula.

Seu nome era Kyle.Parecia que ele estava carregando todos os seus livros.

Eu pensei: ‘Por que alguém iria levar para casa todos os seus livros numa Sexta-Feira? Ele deve ser mesmo um C.D.F’!

O meu final de semana estava planejado (festas e um jogo de futebol com meus amigos Sábado à tarde), então dei de ombros e segui o meu caminho.

Conforme ia caminhando, vi um grupo de garotos correndo em direção a Kyle.

Eles o atropelaram, arrancando todos os livros de seus braços, empurrando-o de forma que ele caiu no chão. Seus óculos voaram e eu os vi aterrissarem na grama há alguns metros de onde ele estava. Kyle ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza em seus olhos.

Meu coração penalizou-se! Corri até o colega, enquanto ele engatinhava procurando por seus óculos.

Pude ver uma lágrima em seus olhos. Enquanto eu lhe entregava os óculos, disse: ‘Aqueles caras são uns idiotas! Eles realmente deviam arrumar uma vida própria’. Kyle olhou-me nos olhos e disse: ‘Hei, obrigado’!

Havia um grande sorriso em sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu o ajudei a apanhar seus livros e perguntei onde ele morava.

Por coincidência ele morava perto da minha casa, mas não havíamos nos visto antes, porque ele freqüentava uma escola particular.

Conversamos por todo o caminho de volta para casa e eu carreguei seus livros. Ele se revelou um garoto bem legal.

Perguntei se ele queria jogar futebol no Sábado comigo e meus amigos. Ele disse que sim. Ficamos juntos por todo o final de semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele. Meus amigos pensavam da mesma forma.

Chegou a Segunda-Feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez! Eu o parei e disse:

‘Diabos, rapaz, você vai ficar realmente musculoso carregando essa pilha de livros assim todos os dias!’.

Ele simplesmente riu e me entregou metade dos livros.

Nos quatro anos seguintes, Kyle e eu nos tornamos mais amigos, mais unidos. Quando estávamos nos formando começamos a pensar em Faculdade. Kyle decidiu ir para Georgetown e eu para a Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa escolar no time de futebol. Kyle era o orador oficial de nossa turma. Eu o provocava o tempo todo sobre ele ser um C.D.F. Ele teve que preparar um discurso de formatura e eu estava super contente por não ser eu quem deveria subir no palanque e discursar.

No dia da Formatura Kyle estava ótimo. Era um daqueles caras que realmente se encontram durante a escola. Estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos.

Ele saía com mais garotas do que eu e todas as meninas o adoravam! Às vezes eu até ficava com inveja.

Hoje era um daqueles dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso sobre o discurso. Então, dei-lhe um tapinha nas costas e disse: ‘Ei, garotão, você vai se sair bem!’

Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão, sorriu e disse: ‘Valeu’!

Quando ele subiu no oratório, limpou a garganta e começou o discurso:

‘A Formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Seus pais, professores, irmãos, talvez até um treinador, mas principalmente aos seus amigos. Eu estou aqui para lhes dizer que ser um amigo para alguém, é o melhor presente que você pode lhes dar. Vou contar-lhes uma história:’

Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos. Ele havia planejado se matar naquele final de semana! Contou a todos como havia esvaziado seu armário na escola, para que sua Mãe não tivesse que fazer isso depois que ele morresse e estava levando todas as suas coisas para casa.

Ele olhou diretamente nos meus olhos e deu um pequeno sorriso.

‘Felizmente, meu amigo me salvou de fazer algo inominável!’

Eu observava o nó na garganta de todos na platéia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos sobre aquele seu momento de fraqueza. Vi sua mãe e seu pai olhando para mim e sorrindo com a mesma gratidão.

Até aquele momento eu jamais havia me dado conta da profundidade do sorriso que ele me deu naquele dia.

Nunca subestime o poder de suas ações. Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior.

Deus nos coloca na vida dos outros para que tenhamos um impacto, uns sobre o outro de alguma forma.

 

PROCURE O BEM NOS OUTROS!

 

(Desconheço o autor)