Você percebe os sinais?


Você já deve ter ouvido falar dos sinais que recebemos do universo.

Tem gente que vê sincronia em tudo, em numeros iguais, simbolos, animais, palavras, imagens… que estão correlacionados com algo ou aquilo que condiz ao seu momento.

Na origem da matemática tudo era simplesmente puro e filosófico e muito se dizia que a natureza se comunica através de simbolos e formas geométricas. Acredito que só perdemos o caminho de volta desta sabedoria filosófica e ancestral.

Esta semana tive três momentos que foram simbólicos e senti que foi uma comunicação do universo para mim.

A primeira, na terca-feira, foi um presente de aniversário. Sonhei com meu pai dando-me parabéns.

Na quarta-feira estava a olhar pela janela de minha sala do trabalho e, do nada, surge uma mariposa toda azul cintilante e de cabeça vermelha. Chamou-me a atenção pois ela veio exatamente na minha direção.

Apistosia judas

Seu nome é mariposa Judas por que as lagartinhas dela são bem venenosas mas quando transformam são lindas. Dei um “Gloogle” para saber sobre este ser encantado e encontro esta informação:

“As características mais exclusivas da espécie mariposa judas está no fato delas terem uma “audição” melhor do que espécies de outras famílias, pois as mesmas possuem os chamados órgãos timpanais, localizados em seus abdômen, o que faz com que elas consigam sentir vibrações exclusivas e assim detectar presas e predadores com uma facilidade maior.”

Interessante que neste momento estava ouvindo som de harpas e fiquei observando sua dança, voando na minha frente que levou-me a um estado de transe.

Hoje estava novamente em minha sala de trabalho, dentre estes 3 anos atendendo ali, nunca vi nenhum pardal parar na minha janela. Hoje, no silencio e sentada em minha poltrona, ouvi um barulho na janela, eis que estava ali a me observar atentamente, o pardal. Ainda sorri para ele e disse “oi, pardalzinho” e logo em seguida voou.

Neste momento eu senti que aquilo era uma conversa simbolica do Divino comigo. Ele está a todo instante se comunicando conosco. Só precisamos estarmos abertos a isso.

Segundo as simbologias de totem de poder dos animais, o pardal simboliza proteção, simplicidade e trabalho em equipe. Sendo assim eu creio na proteção e simplicidade Divina.

Quando sinto estas sincronicidades meu coração se enche de alegria, como se fossem os sinais de que estamos no caminho correto.

Sou grata a Divindade pelos presentes desta semana.

Déja-vù? Ou saí do corpo?


Você provavelmente já deve ter sonhado alguma vez com certo evento e numa outra oportunidade você continua a sonhar o conteúdo do sonho anterior.

No meu caso foi um pouco diferente. Duas madrugadas atrás, sonhei que estava a me trocar no quarto quando fui avisada que tinha visitas em minha casa. Demorei a escolher a roupa e fui dar uma espiada pela porta para ver quem elas eram. Naquele momento vi três pessoas, um moço branco, um moreno e uma mocinha que devia ter uns 18 anos. Imediatamente eu os reconheci como meus amigos e tratei de colocar uma roupa rapidinho.

Quando fui a cozinha, estavam a mesa, comendo e o moço moreno seguiu em minha direção dando-me um abraço apertado dizendo que estava com saudades e que passava aqui por perto de casa e decidiu me ver para aproveitar e fazer um convite a uma festa.

Eu agradeci e disse que estava a esperar o meu noivo que somente iria com ele. O mais interessante que acordei “recordando-me” de onde os conheci. Não sei se foi sonho mesmo, só sei que eu os já conhecia de outros momentos.

Lembrei-me de “como os conheci”.

A lembrança é do rapaz moreno, muito educado se aproximou como se já tivesse ouvido falar de mim. Se apresentou, dizendo seu nome (tenho #odio por não lembrar nomes), disse que já tinha ouvido falar muito bem de mim e que gostaria muito de me conhecer pessoalmente. Fiquei feliz e me senti “importante”. Em seguida o moço branco se aproximou e disse que era um prazer em conhecer-me super simpatico e ficamos ali, os três “conversando” como se já fossemos intimos. Em seguida, já estavámos numa festa e uma moça se aproximou, abraçou o rapaz branco e ele apresentou-a como sua namorada. Era a moça com aparencia de 18 anos. Então da festa que me lembre, fomos para um lugar todo verde, como uma mata e aí fomos passeando por vários lugares.

O mais estranho é me lembrar disso com detalhes e ainda mais depois que sonhei com eles há duas madrugas aqui na minha casa.

A sensação é estranha. Como se já tivesse vivido isso com eles e ao mesmo tempo não sei se é minha imaginação ou se realmente sai do corpo através de um projeção e fiz amigos “astrais”.

A mente humana realmente é um misterio. Quem sabe um dia sonhe com eles e consiga perguntar em qual plano nos conhecemos.

Simbologia das Corujas


Se alguém souber a origem da foto me avise que coloco os céditos.

A tradição dos índios norte-americanos diz que a coruja mora no Leste, lugar de iluminação. Posto que a humanidade teme a escuridão, a coruja enxerga no breu da noite. Onde os humanos se iludem ela percebe com clareza, acreditavam os índios.

A coruja é um dos animais preferidos dos bruxos e bruxas. É simbolicamente associada também com a clarividência, a projeção astral e a magia. Enquanto todos dormem, ela fica acordada, com os olhos arregalados, vigilante e atenta aos barulhos da noite. Por isso, representa para muitas culturas uma poderosa e profunda conhecedora do oculto.

Fonte: http://www.marcelodalla.com/2012/12/o-simbolismo-da-coruja-texto-e.html

Uma lição aos humanos diante da crise do coronavirus nosso Planeta Terra


Olá, como estão vocês?

Estive quieta em minha casa, junto a minha família, lendo, estudando, fazendo auto-reflexões e percepções. Confesso que este período foi muito proveitoso, consegui por em dia várias coisas que deixava para depois e que me eram ricas, porém naquelas semanas super atarefadas, não fazia. Até consegui pintar uns desenhos que estavam parados.

Li um livro sobre a alta espiritualidade e da forma como ela atua no plano espiritual para nos proteger de grandes ameaças. Estamos sim num momento de separação do joio e do trigo, o tal do “fim dos tempos” da Bíblia.  Esta pandemia nada mais é que um somatização de todos os acontecimentos que ocorreram com nossa humanidade e o planeta Terra. Uma somatização para que o individuo humano, parasse repentinamente e observasse além de seu próprio umbigo, principalmente os que moram com ele, seus vizinhos, os outros e a nossa maravilhosa Natureza.

Encontrei diversos artigos comprovando e mostrando o poder de regeneração da Natureza sem a presença e interferência do homem. Pela primeira vez, depois de milhares de anos, sem respirar, a nossa querida Terra demonstrou sua força de sobrevivência. Mostrou-nos os animais a dormir e andar nas ruas com calma e tranqüilidade, mares e rios límpidos, aves nunca vistas dando suas “caras” nas árvores, cantando livremente. Peixes raros e belos a pular sobre os espelhos d`água dos lagos e rios. Nosso ar, tão poluído e castigado ficando mais limpo e saudável e bem como diminuição do buraco da camada de ozônio. Mostrou-nos também que é possível sim, viver com menos exploração, com menos necessidades absurdas gerada pelo consumismo desenfreado. Conseguimos sobreviver apenas com o necessário: comida, a família e a comunidade se ajudando. Vimos muito disso nos noticiários, tirando os terrores da mídia, vimos sim, muita gente ajudando umas as outras. Qual a nossa dificuldade em aceitar a ajuda do outro? Qual a nossa dificuldade em dar ajuda aqueles que têm menos que nós??

Nestas horas me pergunto como é possível as pessoas não acreditarem que o efeito estufa exista? Não acreditar que nossa ação interfere e muito na natureza.  Nossa amada Terra esfregou em nossa cara!!

Tenhamos humildade a este ser vivo que dá de seu seio para alimentar nossa gananciosa fome. Somos todos bebês, chorões e de barriga cheia. Nunca estamos contentes, sempre querendo mais, mais e mais. Infelizes, destruímos cada vez mais este belo Ser que nos dá casa, comida e entretenimento (observe mais a natureza e verá o que é diversão) de mãos abertas e em breve, insatisfeitos com o fim disso, iremos buscar recursos fora dela, abandonando-a num caos.

Enfim, nossa humanidade caminhava (ou ainda caminhará, a depender da lição aprendida com os efeitos desta pandemia), num movimento sem propósito, sem sentido, sem sabor e apenas com o foco no futuro e no “quero ter mais”. Esquecemo-nos de viver um dia de cada vez. Esquecemo-nos de utilizar nossa vida no máximo, não para ter mais sucesso, riquezas e posses materiais, mas SIM com mais valores como nossa autopercepção e valorização, nossa família, nossos momentos felizes e diários em observar as nuvens do céu, saborear uma xícara de café com sua família, ou o prazer de pisar na grama, dentre tantas outras.

Nesta quarentena, esta atual circunstancia que estamos tem oferecido a oportunidade de uma reforma íntima para que nos tornemos melhores pessoas para nós mesmos, para nossa família e para o outro que depende de nós. Nós não evoluímos sozinhos, precisamos de uns aos outros para isso.  Precisamos de ajuda para aprender e ensinar a lição ou vivenciar a mágica lição da vida, as trocas. Lição que aprendemos vivendo apenas o HOJE.

Hoje, agora, neste momento, estou me deliciando com a oportunidade de redigir um texto com amor, apertando os botões de meu teclado. Sente isso? Prazer em escrever? Sim, eu sentia falta exatamente disso! Ter a mente livre de preocupações e obrigações diárias que não me permitiam este momento expressivo de minha criatividade, pois estava com a mente sempre nas tarefas do AMANHÃ.

Precisamos valorizar nossos momentos singulares antes de nos conectarmos a coletividade. Perdemos-nos muito neste caminho. Preocupamos mais com a recreação do final de semana do que termos um momento para não fazer nada conosco mesmos e que nos dê prazer. Alguns minutos de silencio para todas as mentes conturbadas e ansiosas neste mundo salvariam vidas.

Quero ressaltar mais uma vez que, como uma lição também aprendida, devemos manter nossa mente presente e consciente. Não apressá-la ao futuro ou vagar pelo passado.

Um ato simples que nos traz ao presente é o RESPIRAR. Prestar atenção no ar que toca nossas narinas, o suave movimento de expansão e contração, assim como o Universo faz para criar novas galáxias em trilhões de anos. Expansão e contração, inspirar e expirar. Inspirar a energia do mundo para dentro de nós e expirar um pouco de nosso ser pelo mundo. Respirar torna-nos espíritos viventes no presente, no aqui e agora. Traz a presença do espírito, a energia vital que circula em todo nosso corpo.

Sejamos mais presentes em nossas vidas, inspirando e sendo inspirados pelo dom da vida que habita cada ser.

Sejamos mais felizes nesta Terra.

Transformar paixão em compaixão – por Osho


Perguntaram a Osho:

Osho,
Toda vez que você fala sobre transformar paixão em compaixão, algo em meu coração dispara; mas, ainda assim, eu não entendo o que isso significa. Você poderia explicar isso para mim de novo?

A energia chamada paixão é sempre dirigida a alguém. Ela é possessiva, e porque é possessiva é feia. Transformar a paixão em compaixão significa que sua energia para o amor não é dirigida a ninguém em particular, é simplesmente o seu perfume, é simplesmente a sua presença, é simplesmente o jeito que você é. Não é dirigida, não é unidimensional. É radiação. Assim quem quer que chegue perto vai se sentir seu amor – e isso é não-possessivo.

O amor possessivo é uma contradição em termos, porque possessividade significa que você está reduzindo a outra pessoa a uma coisa. Apenas coisas podem ser possuídas, não pessoas. Apenas coisas podem ser propriedades, não pessoas.

A qualidade essencial das pessoas que as diferencia das coisas é a sua liberdade, e a posse, a dominação, destroi a liberdade.

Assim, por um lado você acha que você está amando uma pessoa, por outro lado você está destruindo a própria essência dela.

Compaixão é soltar o amor das garras de possessividade. Então, o amor é apenas um brilho suave, sem direção, sem endereço. Você simplesmente transborda-o porque você está cheio dele, não é uma questão de apenas pensar.

A paixão tem que passar por todo o processo de meditação para se tornar compaixão. A meditação vai tirar toda a possessividade, a dominação, o ciúme, e deixar apenas a pura essência, o puro perfume do amor.

Apenas um homem profundamente enraizado na meditação pode ter compaixão.

Portanto, quando eu digo para você transformar a sua paixão em compaixão, eu estou dizendo para você deixar a sua energia ser purificada, por meio da meditação, de tudo o que há de lixo nela.

Deixe-a tornar-se simplesmente uma fragrância disponível para todos.

Então ela não destroi a liberdade de ninguém, mas intensifica-a, e no momento em que seu amor aumenta a liberdade de alguém o amor se torna espiritual.

Osho, em “The Transmission of the Lamp”
Publicado no blog palavras de Osho
 

USO INTELIGENTE DA ENERGIA SEXUAL


Imagem

A energia sexual desempenha um papel importantíssimo no nosso bem-estar mental, emocional e físico. E para as pessoas empenhadas em seguir um caminho espiritual, a compreensão do que significa energia sexual e o ato de fazer amor é mais preciosa ainda, pois eles são recursos de que dispomos para elevar nossa consciência e avançar para níveis mais altos de energia. Se estamos com alguém que amamos, o ato de fazer amor e o orgasmo provocam uma expansão de energia nos nossos campos de energéticos, quando a energia sexual se funde com a energia mais profunda do amor. Essas duas energias se tornam então uma só energia, poderosa, criativa, transformadora, que pode operar cura, a renovação e, se for conduzida até um nível suficientemente elevado, o que alguns chamam de “milagres”. Mas o que acontece quando usamos a força vital e a energia sexual num relacionamento íntimo em que não existe amor? Simplesmente os nossos centros de energia ficam bloqueados e a energia “não flui”. Isso acontece porque a intimidade sexual, quando não existe amor, cria o que poderia ser descrito como “impressões” negativas nos nossos centros de energia, bloqueando o movimento e o fluxo energético. Essas impressões e bloqueios podem ser sentidos energeticamente e alterar as nossas atitudes e comportamentos. Elas podem nos fazer sentir “travados” sexualmente, causando em nós uma perda de vitalidade sexual. Ou então podem disparar um anseio compulsivo por sexo, num esforço inconsciente para desbloquear as energias sexuais. Se as nossas energias sexuais não estão ligadas ao amor, elas podem como células cancerígenas, adquirir “vida própria” e acabar nos afastando do amor. E em nossas tentativas de satisfazer nossos impulsos sexuais, acabamos ferindo a nós mesmos e a outras pessoas. Atos meramente sexuais nunca são inofensivos. As energias sexuais são forças poderosas! Quando utilizadas com amor, elas promovem a nossa expansão como seres humanos. Quando usadas sem amor, elas causam o acúmulo de impressões e energias “escuras” e negativas na nossa aura, que nos mantêm em níveis baixos de percepção, ofuscam a nossa perspectiva mental e só criam obstáculos à nossa experiência da felicidade. Esse é um preço muito alto a pagar por um prazer momentâneo. Outro efeito da troca de energias sexuais sem amor é o que poderia ser descrito como “buracos” ou perfurações no campo energético dos parceiros. Sem a energia vital do amor, a troca de energias cria lacunas que enfraquecem a aura. Quando, ao contrário, o amor está presente, a mistura ou fusão das energias fortalece o campo energético, porque, nesse caso, mais amor e mais energia são produzidos no ato de fazer amor. Isso é igualmente verdadeiro para casais casados e não-casados. Não se trata aqui de uma questão moral. Pessoas casadas que não se amam e fazem sexo estão causando prejuízos uma a outra da mesma maneira que casais não casados, quando se entregam ao sexo sem amor.

 
(Desconheço o autor)