Luto e saudade


Estava aqui a procurar sobre luto, cuidados paliativos e o uso da aromaterapia e, através da leitura e os conhecimentos prévios tem me trazido recordações do hospital nos ultimos momentos de vida com meu pai. E muitas vezes eu pensei em usar aromaterapia ali e não usei por medo e desconhecimento de como agir. Ficava mais preocupada em como ele poderia sair dali e a ansiedade de como seria depois daquilo. Não sabia como agir e vivia já um luto antecipado.

Hoje ao deparar-me com um video nas redes sociais de um pai e uma menina brincando alegremente na chuva, lembrei-me do meu pai e a saudade cresceu e rolou lágrimas.

Tento não me lembrar da parte triste do hospital e manter os momentos bons com ele. E muitas vezes não choro pois o conforto da minha consciencia é de que ele vive no plano espiritual e está bem. Aqui para nós fica a sensação de distancia mas conforto com a possibilidade de existir em outro plano como sabemos que muitos também vivem por lá.

Eu aceito esta partida dele, era o momento, não há justificativas. Ele cumpriu sua missão como homem filho, marido e pai. Tenho muito orgulho de ter sido sua filha e eu agradeço imensamente por tudo que me deu nesta vida para ser quem eu sou!

Te amo infinito. <3

Sim, era amor. Daqueles que pouco vemos por aí.


Era noite de sábado.
Daqueles preguiçosos onde a vontade de ficar em casa a sós é maior do que uma roupa ou uma balada.
Estava ela junto ao seu par. Deitados sobre a cama, assistindo um filme qualquer na TV.
Relaxados e em silencio. Ouvia-se apenas o barulho do som que o televisor emitia.
Ele olha para sua namorada e a adora. Estava tão bonita em seu pijama e distraida com as propagandas que era o zumbi mais lindo que tinha visto.
Calmamente virou para seu lado, ficando de frente a ela.
Ela percebe olhando-o nos olhos sorrindo. Suas mãos tocam os braços de seu amado.
Ele a devora com os olhos, aproxima-se mais e dá-lhe suas bitocas sobre seu ombro, pescoço e face.
Ela corresponde se abrindo a ele. Seus lábios agora se tocam e um beijo carinhoso se inicia.
Ele se ajeita sobre o corpo da amada pois queria mais. Sentir o corpo e o calor dela naquele instante.
Ela se ludibriava com os beijos e o cheiro que seu homem emanava.
Ele toca sua amada com prazer, tirando-lhe a rouba, brincando com os bicos de seus seios, acariciando-os e passando suas mãos sobre o corpo de sua amada.
Ela se entrega, vai abrindo seu corpo para encontrá-lo. Afinal, fazer amor é uma brincadeira de esconde-esconde.
E carinhosamente eles se enlaçam. O amor é renovado com o prazer que os dois se proporcionam.
Ouve-se gemidos, beijos, carinhos… palavras são caladas com olhares.
Olhares que fazem chegar ao climax, sentirem o gosto de estarem unidos fisica e emocionalmente.
Ele se deita relaxado e feliz.
Ela se deita sobre seu peito para que as endorfinas façam o efeito e que o cheiro dele entre em seu cérebro como chocolates suiços.
Ele pega na mão de sua amada, que estava a brincar com os pelos de seu peitoral, entrelaça seus dedos entre os dele, leva-os a boca para um beijo.
Seus olhos se unem novamente, a sensação de plenitude e entrega é ainda maior.
Dela lágrimas brotam de seus olhos, um sorriso de alegria e principalmente de amor mutuo.
Ele afaga sua amada, sentindo sua emoção. Seus olhos caem sobre ela com um brilho diferente.
Ambos corações estão quentes e conectados por um só sentimento.
Sim, era amor. Daqueles que pouco vemos por aí.
Ele e ela faziam um NÓS perfeito-sendo-imperfeito.
Isso bastava.

FIM.

Por Camila Moreira.
(02/11/14)

Se há ciúme, não há amor – Por Osho


Se há ciúme, não há amor
 
O ciúme é uma parte secundária do sexo. Sempre que você tem um desejo sexual em sua mente, uma manifestação sexual em seu ser, ou se sente sexualmente atraído por alguém, o ciúme entra em cena porque você não está amando. Se você ama, o ciúme não aparece.

Tente entender a coisa toda. Sempre que você está ligado sexualmente, fica com medo, pois, na verdade, o sexo não é um relacionamento, e, sim, uma exploração, uma utilização.

Se você está apegado a uma mulher ou a um homem sexualmente, fica sempre com medo de que essa pessoa possa ir embora com outra. Não há um relacionamento real. É apenas uma exploração mútua. Vocês estão explorando um ao outro, mas não amam, e vocês sabem disso, por isso têm medo.

Esse medo torna-se ciúme, e você começa a não permitir certas coisas. Começa a vigiar. Toma todas as medidas de segurança para que o homem não possa olhar para outra mulher. Só o olhar já é um sinal de perigo. O homem não deve falar com outra mulher, pois falar… E você sente medo de que ele possa ir embora.

Então, você fecha todos os caminhos, todas as possibilidades de o homem ir com outra mulher, ou de a mulher ir com outro homem. Você fecha todos os caminhos, todas as portas. Mas aí surge um problema. Quando todas as portas são fechadas, o homem torna-se morto, a mulher torna-se morta, ambos tornam- se prisioneiros, escravos, e não se pode amar algo morto. Você não pode amar alguém que não é livre, pois o amor só é belo quando é dado livremente, voluntariamente, quando não é tomado, pedido, forçado.
Osho, em “Roots and Wings”

Fonte: Palavras de Osho – http://palavrasdeosho.blogspot.com/2009/04/se-ha-ciume-nao-ha-amor.html

Amor próprio


Eu Sou Luz!
Eu Sou Luz!

 

 

Lembrei-me de uma frase que em meditação após uma aula de yoga ficou ressoando dentro do meu ser, quando me vi em um vasto campo de flores violetas e azuis, deitada sobre elas.

Não consegui repuplicar o post, mas estou reescrevendo na íntegra o que nele continha.

A observação a mais é que, naquela época, quando isso me ocorreu, senti um conforto muito grande porém, não estava em compreensão. Acredito que agora estou no momento onde posso compreender profundamente o por que e o real significado, daquela frase tão bela que me ocorreu em meditação.

Simples e puramente verdade do Ser.

“O amor não existe lá fora, ele existe num lugar onde poucos o enxergam e procuram: dentro de nós mesmos.”

Agora olho para dentro de mim e reconheço o quanto estive vagando até achar o tesouro mais belo, mais precioso e mais brilhante de todo o Universo.

Simplesmente o Amor Verdadeiro e Sincero por mim!

 Já não tenho vergonha e culpa do que sou, fiz, deixei ou não de fazer, é como se águas borbulhantes e agitadas dentro de mim estão começando a ficar calmas e translúcidas. As coisas estão ficando cada vez mais claras e óbvias, não devo temer, devo confiar e seguir amando, independente do que aconteça.

Estive perdida e agora me achei, estive olhando para um horizonte ao longe no qual estive lá e não reconheci que era o mesmo.

Estou imensamente sentindo “dentro de mim”, como se eu “me pertecesse” e sinto uma alegria e ser o que sou… isso é incrível!!!! Estou feliz e contente por cada pedaço que eu mesma contribui em ser e o que eu sou.

Eu Sou a maior Dádiva deste mundo!!! Eu Sou o tesouro mais valioso deste mundo! Eu Sou essa Luz que sempre busquei!!! Eu Sou a Luz Ilimitada!!

E Eu Sou muito feliz por isso!!!

Agora, isso me fez lembrar de um filme lindo que assisti chamado Stardust – O Mistério da Estrela , que é um conto de fadas as avessas baseado na novela de Neil Gaiman, onde as estrelas caíam na terra e as bruxas a sacrificavam pela sua tamanha luz e fonte de juventude eterna. No filme, aquela lindinha da Claire Danes é a estrela cadente, quando ela se sentia feliz e confortável ela brilhava tanto que as pessoas percebiam a Luz em volta dela.

É assim que estou me sentindo agora, esta Luz que não quer se apagar, brilhante e esplendorosa.

P´taah falando sobre amor…


“Entenda, amado, a coisa mais importante, a coisa mais surpreendente, é você, é a humanidade, é o potencial ilimitado para amar.

Veja, o amor é a coisa mais extraordinária. O amor é apenas outro nome para Deus/Deusa e o amor é a estrutura do seu ser. É a sua verdade fundamental, não importa o que – o amor e a gratidão pela possibilidade de experienciar a vida humana e Deus/Deusa.

Amor.

Entenda, a cada vez que você está maravilhada, na alegria, no riso, no amor, não importa como isto se manifesta, você está sendo tudo o que pode ser e isto é chamado de Deus/Deusa. E você se sente separado disto?

O amor é a manifestação de Deus/Deusa. É Deus/Deusa. É a estrutura do universo. É tudo o que você pode possivelmente ser, e é a sua verdade. “

 

Mensagem de P’taah, Janeiro 2009, através de Jani King.