Eu sou aquela criança…


Quando estou desenhando ou pintando mesmo que seja um daqueles cadernos de pintura acabo percebendo que aí da sou aquele criança.

A criança q desenhava e pintava torto, com muitas cores e com a força de rasgar o papel.

Duramente criticada e corrigida por fazer desta forma. Meus lápis acabavam rapidamente.

Ainda quando pinto ou desenho guardo alguns e rasgo-os todos. Não é sentimento de pena, realmente acho que quem se importa com meus desenhos e pinturas? Nem meus pais deram bola para isso.

Continuo a desenhar e pintar pois tenho prazer e alegria de fazer isso. Se não ficar bom jogo fora, se ficar uma obra prima, guardo.

E eu só queria dizer que a gente guarda muitas tolices de nossa infância dentro de nosso adulto.

Publicado por

Camila Moreira

Mulher, ama o conhecimento, o saber e a natureza. Formada em química, massoterapia e seu novo encontro com o Sagrado através da aromaterapia. Uma apaixonada pelas terapias alternativas e complementares e bem como pelas "logias" da vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s