Uma mensagem de Saint Germain: “Vergonha, Culpa e Dinheiro”


Por Alexandra Mahlimay e Dan Bennack

Chichilianne, França

http://www.joyandclarity.com

Tradução: Sandra Regina de Carvalho

E-mail: sandra.nexus@gmail.com

Pergunta e sessão reproduzidas com o consentimento do cliente:

“Durante quase toda minha vida, tenho tido problemas com finanças e dinheiro ou, para ser mais específico, com instituições financeiras. Isto me causou muito stress, medo e uma profunda sensação de impotência, mas agora não quero mais continuar neste jogo. Quero deixar isto para trás e me libertar… Por favor, ajude-me a me libertar deste jogo – esta ilusão de forma e de troca – que eu jogo com instituições financeiras. Quero ter poder sobre minha vida, liberdade e abundância, ao invés de sentir medo e impotência. Obrigado.”

Amado Amigo,

As coisas não são tão ruins quanto você pensa.

Vamos dar uma olhada naquele seu lado que está se sentindo impotente e com medo de instituições financeiras. Mas, antes disso, precisamos fazer uma pequena revisão.

Isto poderá parecer que não tem relação com a sua pergunta, mas nós voltaremos a ela.

Sub-personalidades e o Ego

Por favor, lembre-se de que a maioria dos seres humanos se identifica fortemente com sua personalidade e não tanto com os Aspectos Elevados do seu Ser, tais como a Alma ou o Eu Divino.

A personalidade humana, ou ego, inclusive o seu, é formada por muitas sub-personalidades. Algumas delas têm um papel predominante, enquanto outras são menos importantes.

A mistura e a ênfase dependem da pessoa envolvida e suas circunstâncias.

Por exemplo: uma jovem mãe pode com freqüência se identificar com o papel de “cuidadora”. Porém, a sub-personalidade “espírito livre”, que se formou durante seus anos na escola de artes, pode se revelar com muito menos freqüência.

Um executivo pode suprimir sua sub-personalidade “nutridora” no trabalho, temendo que seus colegas possam considerá-la como um sinal de fraqueza num clima de negócios muito competitivo. No entanto, todas as noites, em sua casa, ele pode deixar de lado a fachada de “líder” para cuidar amorosamente de sua estufa de orquídeas.

Uma sub-personalidade é um tipo de mecanismo de defesa psicológico. Da mesma forma que o ego, ela não é você.

O ego é um estado de identidade falso.

Ele se afirma sobre a crença de que você é imperfeito.

O ego é você, personificando a falsa crença de que você não é amado e sim rejeitado por Deus e pelos outros – e, assim, você se sente desprotegido, ameaçado e vulnerável.

O ego, com suas sub-personalidade, é sua identidade psicológica. Ele vê o mundo com os olhos do medo, ao invés de vê-lo como ele é, com os olhos do amor.

A Criação de Sub-personalidades

O ego consiste de várias sub-personalidades dominantes e algumas menos importantes. Cada sub-personalidade criada por seu ego apareceu num momento de grande stress – num momento em que você se sentiu envergonhado, repreendido ou culpado, ou quando uma profunda necessidade de aprovação, validação ou amor deixou de ser preenchida.

Seu ego com suas sub-personalidades começou a se formar na primeira vez em que você não se sentiu amado. Para muitos, e talvez também para você, isto ocorreu na primeira infância.

Naquele momento, você criou sua identidade (uma sub-personalidade), que aceitou responsabilidade pela interrupção do fluxo de amor e aí tentou corrigir esta situação. Esta interrupção do fluxo de amor pode ter acontecido com seus pais ou com alguma pessoa em quem você confiava. Esta foi sua primeira experiência com censura, vergonha e culpa.

Sub-personalidades como esta podem ter sido úteis no momento em que foram criadas, pois elas lhe devolveram um senso de tranqüilidade e segurança numa situação estressante. O problema é que elas podem ser internalizadas rapidamente devido ao reforço.

Como isto acontece?

Cada vez que você sente medo – cada vez que você acredita que escassez, hostilidade, desaprovação ou inúmeras outras possíveis ameaças do mundo exterior o estão atacando, seu ego recorre a uma sub-personalidade para lidar com isso.

Enquanto você achar que existe uma ameaça, você vestirá aquela sub-personalidade como uma máscara – até que você se torne a máscara.

O que o Ego lhe oferece

O ego, com suas sub-personalidades, tenta protegê-lo de tudo que é temido, de tudo que é percebido como ameaça ou escassez. Ele promete ajudá-lo a sobreviver física, emocional e psicologicamente em momentos difíceis.

Ele diz que vai livrá-lo do medo, começando por supor que o mundo é um lugar ameaçador e então tentando convencê-lo de que você corre perigo.

Esta é uma falsa crença sobre a Natureza da Realidade e sobre Quem Você Realmente É.

E isto nos trás de volta a sua preocupação com dinheiro.

Medo de Instituições Financeiras

Você aprendeu a ter medo e sentir-se sem controle de sua vida quando confrontado com dívidas e obrigações com instituições financeiras. Isto acontece porque, para você e muitas outras pessoas, dinheiro é questão de valor; não valor monetário, mas auto-valor.

Até que você perceba que não se trata de valor monetário, mas sim de auto-valor, você continuará a lutar com as instituições financeiras.

Melhor dizendo, a sub-personalidade a que você recorreu para lutar esta batalha por você irá lutar, e você sofrerá por isto, enquanto ela continua a pedir validação de uma fonte de valor que ela também teme.

Querido amigo, você está projetando seu conflito interno: “Será que sou digno de ser amado? Tenho algum valor?”, num mundo em que se empresta dinheiro e se cobra a dívida, para examiná-lo e chegar a alguma conclusão definitiva sobre o assunto.

Qual será sua decisão?

Vergonha, Culpa, Dinheiro e Valor

Toda vez em que você entra em conflito com uma instituição financeira, você ativa e reforça uma sub-personalidade que considera dinheiro (ou a falta dele) igual a auto-valor. Enquanto você se identificar com suas lutas, não conseguirá perceber que precisa restaurar o auto-amor e sua própria valorização, e não seu valor financeiro.

O que você está fazendo aqui é projetar um conflito interno para sua situação financeira. Você pode estar fazendo isto por medo de lidar conscientemente com a auto-valorização. Ou você pode estar com medo de expor seu coração e suas antigas feridas causadas pela negação de auto-amor.

Independente dessas condições, seu medo de instituições financeiras, assim como todos os aspectos do seu ego, se originaram por uma crença básica sobre você mesmo. Ele se originou no primeiro momento em que você se sentiu não-amado e acreditou que isso era verdade; no primeiro momento em que sua Inteireza e Valor foram questionados e você se sentiu envergonhado e se culpou por isso.

Uma vez que você acreditou que esta interpretação errada básica sobre você mesmo estava correta, você permitiu que a dúvida, o medo e a falta de controle sobre sua vida se alastrassem como uma doença, infectando todas as partes de você que se sentiam inseguras. Você lhes deu o direito de padronizar suas experiências da realidade, incluindo suas relações com o dinheiro e o auto-valor.

No entanto, agora você disse que basta.

Você disse que quer acabar com o jogo ilusório que tem jogado com as instituições financeiras.

E eu digo: “Bravo!”

Você disse que já viveu situações estressantes suficientes para se perguntar se elas têm que continuar a ser reais para você.

E eu digo: “Ótimo!”

Mas, primeiro, vamos acabar com o jogo ilusório que você vem jogando com você mesmo.

Vamos proclamar seu auto-valor primeiro. E depois observar como sua relação com o dinheiro se transforma.

O Fim da Ilusão

Quando você decidir pôr um fim nas ilusões que dominam sua vida, você despertará uma Nova Consciência. Você começará a desenvolver uma Auto-Consciência que gentilmente corrigirá as distorções e percepções erradas do seu ego.

Ao absorver esta consciência expandida, você também estará alinhado com seu Eu Verdadeiro – o Novo Você que é seu Eu em harmonia com sua alma.

O Novo Você é capaz de expressar os anseios de sua Alma. Suas percepções estão alinhadas com a Verdade, por isso você vê as coisas com clareza. E como você as vê claramente, você reconhece que sua Alma é a autora de suas experiências.

Você se torna soberano e livre.

Você consegue criar sua vida facilmente, usando energias que respondem ao chamado de sua Alma.

Penetrando num Novo Nível de Consciência

Como você penetra nessa Nova Consciência? Neste Novo Você?

A primeira coisa que você faz é parar de brigar com você mesmo e com o mundo. Você deixa de lutar com as ilusões e permite a seus medos e percepções erradas irem embora. Lutar com eles apenas os torna reais na sua mente. Você tem que cair totalmente fora desse círculo.

Você pode encerrar o conflito com uma simples declaração: “Eu Sou Pleno e Plenamente Amado, Valoroso e Inteiro.”

E aí, viva esta Verdade com toda convicção.

Conforme fizer isso, você perceberá que suas lutas externas apenas espelhavam seus conflitos internos e verá que a Verdadeira Natureza da sua realidade era diferente da soma dos seus medos.

Conforme você penetra totalmente numa Nova Consciência, seu medo, sensação de vulnerabilidade e desespero desaparecerão – assim como qualquer crença de que você não é suficientemente bom, suficientemente perfeito, ou suficientemente esperto para ser valorizado e amado exatamente como Você É.

Nenhuma dessas coisas terá a menor importância.

A única coisa que realmente importa é que você confia na sua Sabedoria Interior. Confie na parte de você que sabe Quem ela Realmente É.

Sua disposição em permitir isto fará com que aconteça.

Pode ser tão fácil quanto deixar um casaco escorregar suavemente de seus ombros.

Sim, pode ser assim simples. Você pode mudar sua consciência simplesmente querendo penetrar num mundo de Auto-Amor restaurado.

E por favor, lembre-se de que você está sendo totalmente apoiado nisso.

Nós somos Saint-Germain e Sua Equipe Angélica, e você são profundamente amados.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Este material é oferecido para ajudar a nos libertar das limitações, expandindo nossa consciência humana. pode ser distribuído gratuitamente, desde que esta intenção seja respeitada. Não deve ser comercializado por segundos nem terceiros, no todo ou em parte, sem o consentimento expresso por escrito dos proprietários dos direitos autorais, Alexandra Mahlimay e Dan Bennack. Se estiver reproduzindo este material, por favor lembre-se de dar os devidos créditos aos autores, citando seus nomes e incluindo o seguinte link: http://www.joyandclarity.com Obrigado.

Para mais informações sobre as canalizações de Alexandra e Dan e seu trabalho, por favor envie um e-mail para mahlimay@yahoo.com

If you would like to be notified when new material is published in English, please send an email to mahlimay@yahoo.com and include the words “Join Mailing List” in the subject line.

copyright © 2008 Alexandra Mahlimay and Dan Bennack

Anúncios

Um comentário em “Uma mensagem de Saint Germain: “Vergonha, Culpa e Dinheiro”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s